quinta-feira, 17 de setembro de 2015

PALAVRAS VERTEBRADAS





Benditas as palavras vertebradas 
silaba a silaba
o canto das folhas desamparadas
no alpendre
o uivo dos cães
a clarear sombras

bem escasso
este perfume de mostos
chuva lábios e pedras

este marulhar desabrido
à nossa porta
na livre circulação do vento

Eufrázio Filipe
 

19 comentários:

MJ FALCÃO disse...

Sim,
"Benditas as palavras vertebradas
silaba a silaba
o canto das folhas desamparadas
no alpendre
o uivo dos cães
a clarear sombras..."
Boa noite!

Graça Sampaio disse...

Bendita a Natureza.
Bendita a Poesia!

Beijinhos, Poeta.

Agostinho disse...

Benito o poeta que anuncia o tempo.

Jaime Portela disse...

Enquanto que a livre circulação de pessoas é palavra invertebrada...
Excelente.
Caro Eufrázio, tenha um bom fim de semana.
Abraço amigo.

Graça Pires disse...

As palavras, na "livre circulação do vento" a colocarem o outono à nossa porta com a fragilidade do mundo...
Um beijo, meu amigo.

manuela baptista disse...

bem maior, o marulhar


um abraço

Ailime disse...

Muito interessante!
O Outono aqui também!
Adorei o seu comentário e sim, quase tudo cai,
Assim desejo e espero, mas outras folhas;))...
Beijinhos,
Ailime

Acordar Sonhando . SOL da Esteva disse...

Recuso-me modelar

Suzete Brainer disse...

Bendita a tua inspiração, Poeta (mestre) das metáforas!
A beleza da imagem (escolhida) como o movimento da
música do vento poético essencial de silaba a silaba...
Bjs.

heretico disse...

Benditas sejam as palavras - frágeis que somos!

és Poeta maior, meu caro Eufrázio.

abraço fraterno

jrd disse...

Palavras verticais e inteiras que anunciam o vinho novo e apontam o tempo que desejamos.
Abraço daqui, meu Irmão poeta.

Beatriz disse...

Que venham as palavras... vertebradas!
Gostei deste cantinho, e aqui voltarei outras vezes.
Bjs

Bia
www.biaviagemambiental.blogspot.com

Salete disse...

Poesia fluida e bela, como sempre.

Beijo.

Lucy Mara Mansanaris disse...

Entre tantos vertebrados, a delicadeza da palavra que adquire corpo e forma... Lindo compor, parabéns!

Maria Eu disse...

As palavras querem-se assim, vertebradas!

Beijinhos, MA. :)

Maré Viva disse...

Benditas todas as palavras
na livre circulação do vento!

Abraço.

Cigana Agoirenta disse...

Lindo poema.

Lídia Borges disse...


Breve cintilação! Da palavra à pedra...


Bj.

Lídia

Odete Ferreira disse...

Bendita a tua arte. Do barro saem belas esculturas com palavras cinzeladas.
Bjo, amigo :)