quarta-feira, 26 de agosto de 2015

AQUI NESTE .






Na ausência de relâmpagos
que se vejam
inteiros
nas crinas do vento

hasteamos bandeiras
de cores lúcidas

Aqui neste .
ancorados na memória
afeiçoamos pedras
desenhamos o recorte da serra

colhemos sons passos e lábios
até desvendarmos
os olhos dos pássaros


Eufrázio Filipe

23 comentários:

Jane Gatti de Campos disse...

Seremos nós, pássaros de olhos vendados, a sobreviver de memórias? Abraços.

margusta disse...

Belo!
Com saudades de passar por aqui :)

Salete disse...

Na presença de muitos, aqui neste, fazemos das tripas coração e as vezes nem isso podemos.

Belo!
Beijo.

Rogerio G. V. Pereira disse...

hasteemos, poeta-irmão

Majo disse...

~~~
~~~ Façamos tudo o que pudermos

para desvendar os olhos dos pássaros...
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

«Pior cego é aquele que não quer ver»

~~~ Abraço, Poeta amigo. ~~~
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Agostinho disse...

Hasteemos bandeiras, pois!
Na colina mais alta
Para que haja depois.

Graça Pires disse...

Hasteio contigo as bandeiras de cores lúcidas, amigo...
Um beijo.

Suzete Brainer disse...

Somente aqui neste espaço (teu)
voam metáforas profundas
com a beleza que desnuda a realidade
numa delicadeza com olhos de pássaros...

Admirável Poeta das metáforas!
bjs.

Sónia M. disse...

Só de olhos vendados
podem os pássaros ver
as cores mais lúcidas...

Belo, como sempre.

Bom fim de semana.
Beijo

Ana Tapadas disse...

Sem olhos vendados e com olhos de pássaros...ergueremos bandeiras, poeta.

beijo

Magia da Inês disse...


Com nossos próprios olhos!...

Bom fim de semana com tudo de bom!
Beijinhos.❀ミ
❀˚° ·.

AC disse...

Talvez, então, consigamos desvendar os nossos, aparentemente o espelho da alma...

Abraço

jrd disse...

A poesia é uma tempestade perfeita.
Abraço meu irmão

Olinda Melo disse...


Aqui neste sítio de palavras lúcidas, desvendamos os mistérios que nos obstruem o caminho.

Abraço

Olinda

Isa Sá disse...

Bonito poema. Tenha um ótimo domingo.

Isabel Sá
http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

Helena disse...

Meu querido: como é bom ler-te! A tua poesia é uma das mais belas que existe na blogosfera! Os teus poemas carregam sumo e delícias nos versos que se acomodam na alma e ali ficam quietinhos, levando-nos por caminhos onde "tudo está definitivamente inacabado".
Estou voltando às lides blogueiras, tentando harmonizar dentro de mim as perdas recentemente sofridas...
Deixo um beijo no teu coração,
Helena

Lídia Borges disse...


Desvendar... Eis a questão! Serão vendas,opacidades congénitas, prisões? Asas não, que eu sei!...


Um beijo

ana disse...

Precisamos tanto de lucidez.
Onde andará ela?
Boa semana.:))

heretico disse...

deixemos então que o tempo amadureça nos olhos dos pássaros...

e em seu voo de fogo!

belo poema, Poeta,

abraço fraterno

manuela baptista disse...

aqui neste ponto

esperamos os pássaros

© Piedade Araújo Sol disse...

as bandeiras ainda serão hasteadas, mas os olhos dos pássaros será sempre um enigma...

beijo

:)

Odete Ferreira disse...

Ousemos sair da obscuridade e tudo será mais clarividente.
Mas só com a tua mestria poética!
Bjo, Filipe :)

Cristina Cebola disse...

...
e nesse dia, todas as aves gritarão Vitória!!!