quinta-feira, 5 de março de 2015

CONCERTO DE PÁSSAROS






O granizo caía abrupto nas nossas vidas,queimava-nos a alma até aos ossos. Nunca mais chovia água de beber. 
Lânguidos os rios mal desaguavam de tanto frio e solidão. O mar vadiava nas frinchas das falésias e os barcos ancorados, aguardavam nos mastros outros ventos. 
Nas ruas havia uma certa efervescência . Um respirar ofegante. 
Nas ruas as esquinas dos prédios despovoadas para os cegos abrirem os olhos. Nas árvores nem uma folha para esconder o arrepio dos pássaros. Nem um piar. Nem um sussurro. 
Ao desnascer da noite alguém acendeu um fósforo e fez-se madrugada. 
Os rios despertaram. O mar deu sinais de chamada. O vento soprou para um afago de velas e os barcos partiram para a faina. 
A Primavera por cima dos escombros convocou-nos para um concerto ao ar livre. As flores despontaram nas nossas mãos, a cantar com os pássaros, como se fossemos livres e somos. 


Eufrázio Filipe

 


28 comentários:

VitorNani disse...

Olá Eufrázio!
Enquanto sua poesia estende um tapete colorido para a Primavera que se aproxima, aqui estamos à espera do Outono que já bate à nossa porta!
Enquanto você rege seu "concerto de pássaros", eu ouço o canto da última cigarra!
Um grande abraço!

VitorNani & Hang Gliding Paradise

Rogerio G. V. Pereira disse...

...e somos!

JANE GATTI disse...

Sempre haverá um sopro de primavera trazendo a liberdade da alma. Abraços.

Majo disse...

~
~ ~ ~ B e l í s s i m o! ~ ~ ~

~ Como estão precisados os pássaros de um concerto!

~ ~ Um hino à liberdade, Poeta.
~ ~ ~ ~ ~

Arco-Íris de Frida disse...

Gosto da primavera... flores e cores por todo canto... nos ilude e faz crer que a vida é sempre bela...

NAMIBIANO FERREIRA disse...

Excelente, poeta!!!

a história d'eles disse...

"Così vicino così lontano"
As flores despontaram nas nossas mãos, a cantar com os pássaros, como se fossemos livres e somos.

Imprópriaparaconsumo disse...

Gosto de ver as cores e o cheiro da primavera que nos aquece o corpo :)
Muito bonito :)

Rita Freitas disse...

Nasce a primavera com um grito de liberdade.
Senti o aroma das flores :)

bjs

Agulheta disse...

Gostei imenso do poema,e tantos esperam a tal liberdade, e um sopro de vento para acalmar a alma.
Abraço

Luria Corrêa disse...

Que lindo! E tocante!
A nossa vida é uma aquarela.

EU disse...

Sacudamos o frio que nos trespassa!
Excelência de palavras e mensagem.
Bjo, Mar :)

Olinda Melo disse...


Sim, é disso que precisamos: de uma revoada de pássaros, em concerto, limpando o ar da madrugada. Outra madrugada.

Abraço

Olinda

ॐ Shirley ॐ disse...

Belíssimo!
Beijos!

heretico disse...

a paisagem está apta - uma faisca apenas e o barcos fazem-se à faina.

livres que somos - basta querer!

belíssimo, meu Amigo

abraço fraterno

Maria Eu disse...

A Primavera traz, também, as palavras mais belas.

Beijinhos, MA. :)

Ana Tapadas disse...

E grito contigo:
«a Primavera por cima dos escombros!»

Beijo meu

Maré Viva disse...

A primavera sempre volta para nos rasgar o silêncio e aquecer a alma.
Deve ter sido o seu aroma que me trouxe de volta.
Amei o texto e louvo o fósforo que fez acender a madrugada.
Um abraço.

ONG ALERTA disse...

Primavera encanta, abraço Lisette.

Agostinho disse...

Belíssimo!

Um concerto com acerto
Os pássaros já ensaiam
asas largas de verdade
no arvoredo a liberdade

Teresa Durães disse...

Um começo de primavera excelente!

Lilá(s) disse...

Eu fico esperando, a tal liberdade e a Primavera que tarda.
Bjs

Anna disse...

Que bom ter passado por aqui, hoje!

Abraço, Eufrázio.

Armando Sena disse...

Um dia haverá em que nos encontramos com a vida. Entretanto, basta-nos a poesia.

jrd disse...

Um concerto sublime. Intemporal. Cheguei a tempo de o ler, ouvindo...
Abraço fraterno

Teresa Almeida disse...

Bastou acender um fósforo para que as ideias clareassem!

Sónia M. disse...

...e somos (?)

Lindíssimo!

bettips disse...

SOMOS. Dentro enquanto não for fora. Certas palavras dão-me uma nostalgia tão grande, da liberdade, como uma borboleta na Primavera.
Abç