sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

DESPRENDIDA CENTELHA





À flor das mãos
no espelho dos sentidos
quando te despes de tudo
para mover as águas
onde se purificam
os gestos mais íntimos

há um rio
que se transporta

desprendida centelha
que alumia as margens

para te ver passar


16 comentários:

EU disse...

Eu tenho um rio que se tumul-Tua quando passo...

Bjo, amigo :)

Arco-Íris de Frida disse...

Agua purifica e renova... molha e lava por dentro...

Lídia Borges disse...

No espelho dos sentidos... a purificação dos gestos.

Este ver-se rio que faz inquieto, o poeta.

Sempre...

Bj.

trepadeira disse...

Um rio de emoções.

Abraço,

mário

Laura Santos disse...

Para vê-a passar, e para vê-la no que dela ficou.
xx

Zilani Célia disse...

CENTELHA DE LUZ, A REFLETIR-SE NO RIO DE CADA UM...
BELEZA PURA.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Janita disse...

Poema romântico e intimista capaz de acender e fazer chispar centelhas de emoção!

Gostei do sentimento que se desprende do poema. Muito belo!

Um beijo.

Agostinho disse...

Não receies, despe-te!
o espelho do rio
diz-te a verdade se és.

Rogerio G. V. Pereira disse...

À flor das mãos...

Graça Sampaio disse...

Belo poema de luz. E de amor!

Beijinhos luminosos.

carlos pereira disse...

Despertar de sentidos na líquida harmonia dos rios.
Abraço.

Teresa Almeida disse...

Uma aura de luz solta no poema.

heretico disse...

um verdadeiro Hino a ... Vénus!

abraço, Poeta.

Ailime disse...

Lindo!
Um rio de águas límpidas!
Beijinhos,
Ailime

Suzete Brainer disse...

Uma luminosidade encantadora,

espalhando gestos líquidos...

Adorei,lindo!!

Cristina Cebola disse...

Essa água que afasta tudo o que é nefasto...
Quer ao gesto, quer ao pensamento...