sábado, 8 de novembro de 2014

A VERTIGEM DA LUZ







No tempo das romãs
para alumiar o voo dos pássaros
tilintam sinos
no bico dos teus seios

cúmplices (e)ternos 
no baloiço das marés

esmaiam barcos
numa campânula de sons

desnuda-se em relâmpagos
a vertigem da luz


27 comentários:

Maria Eu disse...

A luz do amor.

Beijinhos Marianos, MA! :)

jrd disse...

Belíssimo poema.
No tempo das romãs ilumina-se a sensualidade da tua poesia.

Um abraço meu irmão

Graça Pires disse...

A vertigem sensual do poema...
Um beijo, amigo.

Ailime disse...

Uma luz que se quer e(terna)!
Muito belo.
Um beijinho,
Ailime

S. disse...

Lindo!

Beijinho.

Janita disse...

Que posso eu dizer, pobre leiga, dos efeitos que o vai-vem, agitado, das marés, provoca na mente dos poetas?

Vertigens, visões e tilintar de sinos?

Abençoada imaginação!

Abraços!

Rogerio G. V. Pereira disse...

São belos versos
desnudando-se

lembro palavras tuas

"poetas são os que escrevem poemas, são os que os dizem, são os que os ouvem, são os que os leem e são os que os pensam.
De tantos, somos tão poucos..."

e sinto-me lisonjeado, ontem, quando te ouvi e, agora, ao te ler

(amanhã seremos mais!)

Agostinho disse...

Os pássaros afloram
o vermelho,
da romã o sumo
esvai-se na vertigem
do voo picado.
É quando se solta a luz.

José María Souza Costa disse...


Olá, Mar Arável

Bom tudo para nós.
O que trazemos na memória, da velha infância ?
Também, não sei.
Portanto estou cá, para desejar um dia agradável, refletindo que, a maior obra do Criador, é você.
Um abraço.

Suzete Brainer disse...

A beleza do (a)mar

em ondas

de cumplicidades...

Sempre belo,poeta!
Bjs.

Lídia Borges disse...


Um mar de leituras luminosas!

Parabéns!

Bj.

Helena disse...

Sensualidade, ternura, a despir versos que se querem luz!
Sorrisos, estrelas, uma semana linda!
Helena

Isa Lisboa disse...

Será a luz ou o amor de Outono que trazem vertigens? :)

Um abraço

Nidja Andrade disse...

Acho que toda emoção nos trazem vertigens. Sabe como é, seu blog é e sempre será uma grande fonte de inspiração. Bja

Rosa dos Ventos disse...

Cheio de cor, luz e som!
Lindo!

heretico disse...

voo rasante dos pássaros
no tilintar dos seios...

abraço, Poeta maior.

Majo disse...

~
~ ~ Delicadamente erótico! ~ ~

~ ~ Uma pequena maravilha! ~ ~

Lilá(s) disse...

Mais um belo poema bem ao estilo Mar Arável!
Bjs

Teresa Almeida disse...

Conto um segredo; gosto de guardar as romãs que me oferecem. Substituo-as todos os anos.

Mesmo que assim não fosse, deixar-me- ia penetrar por esta magia de mil versos em vertigem!

EU disse...

Belo e luminoso este poema refratário - no olhar do poeta...
Bjo, Mar

Teresa Durães disse...

Um poema que transpira a sensualidade!

Rita Freitas disse...

Uma vertigem sensual e luminosa :)

bjs

Marta Vinhais disse...

A luz que intensifica o desejo e desnuda a paixão....
Lindo..
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Fê blue bird disse...

Um poema que me deixa sem palavras, pois não encontro a certa para definir o meu sentir ao ler o seu belíssimo poema.


beijinho


Til disse...

Tens uma luz que ilumina a tua vida?

Tétisq disse...

o baloiças das ondas e dos sentimentos...

AC disse...

A vida bebe-se, em pequenos goles, por vezes só de um trago.

Abraço