quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

LUZ VERTEBRADA







Nada é absoluto

nem este sítio
onde dulcíssimos cães
lambem os céus
sonâmbulos pássaros
mentem nas árvores sem memória

nem os gestos
aparentemente inúteis
a viverem de olhos fixos
em bando
acordados à sombra dos relâmpagos

Nada é exacto

a não ser uma certa luz
vertebrada
que se consome
ao entrar pelas frinchas
da nossa escarpa


 

34 comentários:

deep disse...

Gostei... absolutamente. :)

Cristina Cebola disse...

Creio que fala, da exactidão da nossa essência. Essa luz que nos ilumina e edifica.
Gosto muito do que escreve. As palavras que aqui leio fazem-me pensar e reflectir sobre o sentido da vida.

Abraço!

Arco-Íris de Frida disse...

Nao sei... acho que nem a luz é exata...

Sónia M. disse...

Uma certa luz, talvez.
Ainda assim deixa dúvidas.

Beijo

Rita Freitas disse...

Faz-me pensar na efemeridade da vida

Bonito!

bjs

Teresa Alves disse...

E quanta Luz... quanta!


Bom fim de semana.

Olinda Melo disse...

Ainda bem que existe essa Luz que teima em espreitar, insinuando-se no nosso pensamento, na nossa Alma, conferindo-nos aquela essência que nos salva...

Abraço

Olinda

Justine disse...

Não se consumirá!

jrd disse...

É essa luz vertical e exacta que nos há-de iluminar sempre.

Abraço Poeta

Armando Sena disse...

Nada é absoluto a não ser, quiçá, o sentir da poesia.
Absolutamente grandioso, parabéns.

OUTONO disse...

"Nada é absoluto"

Mas a tua palavra é absolutamente necessária!

Abraço!

manuela baptista disse...

inexacto é tudo o mais

Lídia Borges disse...


Uma certa luz de incertezas feita.

beijo

Agulheta disse...

A luz é um horizonte de esperança,gostei muito.
Beijo

Graça Pires disse...

"Nada é exacto". "Nada é absoluto".
Porque é demasiado frágil tudo o que nos pode purificar...
Belo poema, amigo.
Beijo.

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo poema...Espectacular....
Cumprimentos

Suzete Brainer disse...

Nada é exato,o sentir não

necessita da matemática,que

permeia a lógica na

delimitação do real. Assim,

a poesia que aciona um

sentir,vai além,numa luz

que transcende...

Sinto essa luz aqui!

Canto da Boca disse...

Nada é exato, tudo no mundo é só inexatidão, exceto pela tua poesia certeira, que nos toca fundo o âmago...

Marta Vinhais disse...

Eu gosto da luz...Mas pode ser frágil e perder-se em nós...
Gostei muito...
Obrigada pelas visitas
Beijos e abraços
Marta

marlene edir severino disse...


Pensava aqui sobre coisas tão dispensáveis, que permeiam esses dias: tudo tão acessório nesse insípido domingo...

E teu poema a compor. Definitivamente este instante.

Abraço, poeta!

Joaninha Musical disse...

Nada é absoluto e nada é exacto,não posso deixar de concordar com esta frase super verdadeira!! Quero desejar-te uma excelente semana,muitos beijinhos,fica com deus e até breve!! http://musiquinhasdajoaninha.blogspot.pt

heretico disse...

Nada está escrito - apenas a luz que nos incendeia...

abraço Poeta, meu irmão

Maria do Sol disse...

Sublime.

Abraço

O tempo das maçãs disse...

Imenso.Para se pensar.

Beijos.

GL disse...

Ter cuidado com os cães, acabar com a letargia dos pássaros, domar os bandos,e finalmente far-se-á luz.
A escarpa é forte, tem que ser forte.

Janita disse...

Nada é exacto, absoluto e imutável, Mar!
Só a luz intensa do seu talento para iluminar as trevas do caminho que percorremos!
E, nada mais!

Beijinhos.

Pérola disse...

Não há verdades, absolutos ou exatidões...mesmo nas ciências.

Daí a beleza da vida.

Beijinhos

Silenciosamente ouvindo... disse...

Cada dia que passa torna tudo
menos certo. Reste-nos um pouco
de luz, nem que seja a nossa
luz.
Bj.
Irene Alves

iupiiiiiiiiii ! disse...

a luz é exacta, na obscuridade é que inventamos imprecisões

Ailime disse...

Lindo! Pelo menos que a luz não se extinga!
Bj
Ailime

© Piedade Araújo Sol disse...

nada é exacto, acho que nem mesmo a luz...

:)

OceanoAzul.Sonhos disse...

Nada é exato, por vezes até o toque da luz na alma parece impercetível. Já as palavras, tocam-nos.

abraço
cvb

Filipe Campos Melo disse...

Todos os gestos são inúteis
Nada é exacto, nem a palavra que o designa

Um poema impressivo nas imagens e na forma como se diz (um quase non sense)

Abraço

. intemporal . disse...

.

.

. de uma dulc.íssima Luz . a in.exatidão das Suas palavras .

.

. há muito que o leio . ainda que . sob a transparência de um silêncio in.quietante .

.

. a justiça flui . assim .

.

. permita.me este abraço que Lhe deixo .

.

.