quarta-feira, 23 de outubro de 2013

A FINGIR DE PÁSSAROS






A minha escarpa
tem uma janela
escancarada para o mar

mesmo por sobre
barcos de passagem
latidos de cães
e metáforas

Neste sítio fustigado
onde nidificam
ventos e relâmpagos
ouvi um grito
em carne viva
mais real que os verdadeiros

soltei-o
e as palavras voaram
a fingir de pássaros

 

33 comentários:

Catarina disse...

E migraram para outros lugares?

Janita disse...

Não é fácil chegar à sua escarpa, mas depois de a alcançar, escancaramos a janela e ficamos em êxtase profundo a ver o mar, eterno, sem fundo e sem fim, como diz a canção!

Obrigada, por ter esperado por mim, nesta escarpa encantada.

Gritos em carne viva têm de ser libertos, para que nos cheguem o chilrear reparador de pássaros.
Muito inspiradora a sua escarpa, Eufrásio.

Um beijo levado pelo vento.:)

O tempo das maçãs disse...

Eu gosto das janelas escancaradas.
Seu poema é lindo.

Beijo.

Maria disse...

Em voo completamente livre, hoje.

Beijo.

A. disse...

É a Liberdade nas asas das Palavras!... O desabafo!...


Abraço

Sónia M. disse...

No destino, deixarão de ser pássaros.
Servirão de alimento a quem lhes dá guarida.

Belo!
Beijo

George Sand disse...

As palavras têm asas.

Armando Sena disse...

Uma janela aberta para a Evasão.

Jorge disse...

Apreciei muito este poema!

quem és, que fazes aqui? disse...


Sons alados que, por o serem, libertam.

Beijo

Laura

trepadeira disse...

Ouvem-se, todos os dias, gritos em carne viva, até que sejam eles a gritar.

Abraço,

mário

Anabela Couto Brasinha disse...

Belos versos,e
que as palavras(e não só)voam sempre.


Sorriso

Diamantina Martins disse...

Mais um poema maravilhoso
Adorei

manuela baptista disse...

gostei especialmente


a fingir de pássaros

Isabel disse...

As palavras sabem voar.
Devíamos aprender com elas...

Um beijo

Suzete Brainer disse...

As palavras voaram

com a rota da

liberdade dos pássaros...

Muito belo!

Justine disse...

A tua escarpa chama-se poesia...

jrd disse...

Quando a poesia acorda quer voar. Convém ter a janela fechada se a queremos manter por perto.

Rosa dos Ventos disse...

Pássaros enfim libertados!

Rogerio G. V. Pereira disse...

É um poema, ou um quadro?
(é que também se desenha com versos belos...)

Olinda Melo disse...


Escarpa mágica, fonte de inspiração e de palavras prenhes de vida.Deixai-as voar fingindo-se de pássaros e de sementes prontas a germinar...

Abraço, Mar Arável.

Olinda

Silenciosamente ouvindo... disse...

Que bom seria se nos transformássemos
em pássaros...
Bom fim de semana.
Bj.
Irene Alves

heretico disse...

em tua escarpa o escutam-se uivos de belas metáforas...

abraço Poeta,

Ana Tapadas disse...

Palavras-pássaros...tão necessárias!

bjs

Vieira Calado disse...

Bem interessane, este seu poema!
Um abraço!

AFRODITE disse...

Palavras ao vento??
Só que desta vez no melhor dos sentidos!


Na comemoração do 1º ANIVERSÁRIO, há um SELO à tua espera nos JARDINS DE AFRODITE.


Beijinhos e bom fim de semana
(^^)

Lídia Borges disse...


É o lugar amanhado ao jeito de semear gritos "em carne viva". Voem as palavras...


Um beijo

Canto da Boca disse...

(E todas as ilusões e os sonhos, voaram juntos)

Luis lourenço disse...

um abraço, Poeta.

lis disse...

... e palavras voam até aqui fico rendida doida pra voar como pássaros.

Lune Fragmentos da noite com flores disse...

Entendi agora o seu apego aos relâmpagos...

Bom domingo em poesia(s)

Jane Gatti disse...

Seria o desenho mais fiel do que o poema? A complexidade da vida em forma de palavras. Ah, poeta, em sua ilha de escarpas e relâmpagos há um mundo de luz e sombra que nem todo desenho pode representar. Apenas, talvez, a romã... Abraços.

Cristina Cebola disse...

Um belíssimo grito poético!!!

Um dia com muita alegria!!