terça-feira, 27 de agosto de 2013

POEMAS OU QUASE NADA



                                         foto de Eduardo Gageiro


Observo como se move
a água do meu rio

desprendida
sem mácula nem lágrimas
nua de tudo
passo a passo
militante da vida
e verdades improváveis

com todo o tempo
para sonhar
move-se lenta
esculpe caminhos
muito antes de ser mar

Um dia sonharei
um sonho seu

acordarei uma vez mais

a fazer poemas
ou quase nada


 

36 comentários:

Licínia Quitério disse...

Um quase nada que é quase tudo. Abraço, Poeta.

Rogério Pereira disse...

O que me dizes, poeta
vejo-o da minha janela
Vejo o rio a abraçar o mar

É nesse enlace
que sonho o teu sonhar

(mesmo sem ser a fazer poemas
e mais perto do quase nada)

trepadeira disse...

Também um dia quero sonhar os sonhos do meu rio.

Abraço,

mário

AFRODITE disse...


Nós também somos RIO...
A nascente, é o ventre da nossa mãe
O leito, os dias da nossa vida
E no fim... temos a "foz" à nossa espera para a derradeira viagem.


Beijinhos de vida
(^^)

A. disse...

Há águas tão desprendidas das margens e de tudo à sua volta... talvez como uma lágrima em plena queda interminável!... Há lágrimas que são apenas lágrimas, pequenos rios suspensos nos sonhos de tudo e de nada... um sonho dos outros no nosso sono, quando adormecemos no despertar de um Poema!...


Abraço

Menina Marota disse...

"...
Um dia sonharei
um sonho seu

acordarei uma vez mais

a fazer poemas
ou quase nada"


O sonho comanda a vida, já dizia outro poeta.

Um abraço

Um Jeito Manso disse...

Um rio é quase tudo e os caminhos para que nos leva são muito do que precisamos.

E as palavras que nascem dos rios são as mais limpas.

E quando as palavras se juntam num poema à beira rio e os amigos se juntam em volta, pouco mais é preciso.

Parabéns pelos poemas e pela amizade que vai deixando por onde passa.

Sandra Subtil disse...

Um rio que se faz mar, imenso...

lino disse...

Abraço

Anónimo disse...

No seu rio
vejo
reflectida uma estrela
estrela
que sempre iluminou
e guiou
as "verdades"
até as " improváveis"
Vejo tb um poeta
que
sempre "esculpiu"
"leitos"
num tão grande rio
da nascente até à foz
fê-lo sempre
com muito amor e arte
Arte de criar
e recriar "caminhos"
mares e marés
aráveis, navegáveis...
ou "quase nada"
"quase nada"
que alimenta e ilumina

princesa

Anónimo disse...

Todos reparamos que escrever é o seu mar.
E a poesia é como o mar tem ciclos,ora vai, ora vem.
Mais um "poema" ou mais um "quase nada".
E sonhar é melhor que nada.
Sonhe muito e escreva mais Eufrásio.
Abraço.

marlene edir severino disse...

Quase desapego
teu poema:
suave
lento

Acalma o mar daqui.

Abraço, poeta!

Tétisq disse...

estou a ver o meu Mondego mas, não saberia descrevê-lo tão bem :)

Suzete Brainer disse...

Existem rios que seguem

num curso naturalmente

belo e livre...

Existem poemas num todo,

um sonho...

Muito belo!

Lídia Borges disse...


Um rio onde a água corre "nua", "sem mácula nem lágrima" é um rio berço para mil sonho.


Um beijo

Sónia M. disse...

Quase nada

ou quase tudo

Belo!

jrd disse...

Muito antes de alcançar o Mar, o teu Rio já nos canta o sal da poesia.
Abraço Poeta

Ailime disse...

Lindo! O rio que nos percorre! O rio que somos nós. Bj Ailime

Diamantina Bica disse...

A agua do seu rio é sedutora
Tal como a sua poesia o é para mim há muito tempo.
Bj

ana disse...

Eufrázio,
Gostei muito deste poema. Nota-se que desbrava novos caminhos na escrita.
O rio é das coisas mais belas e simbólicas que conheço. Fez-me lembrar Blake, fez-me lembrar a estrada em que caminhamos que não é mais que o nosso rio.
Muito bom.
Abraço. :)

tb disse...

Subscrevo a Licinia porque disse o que ia escrever. Belo, muito belo!
Abraço.

Parole disse...

É bom ter tempo para sonhar.

Encantador.

Beijinho.

Fa menor disse...

Um rio, o nosso rio da vida, para ser saboreado dia a dia.

GL disse...

Não há poeta que resista à magia do mar.
Não serias a excepção.

Maria João Brito de Sousa disse...

... e é tanto, Mar Arável!


Abraço grande!

*Escritora de Artes* disse...

O mar é eterna inspiraçao...


Abçs

mariam [Maria Martins] disse...

Eufrázio, já é rio grande que vai alargando o caudal de excelente poesia ...
Belíssimo poema. Como sempre.
Beijinhos :)
mariam

Ana Tapadas disse...

Homens felizes têm rio e mares para militar...


bjs

Justine disse...

O passo lento é revolucionário!
Acordarás sim! Acordaremos!!

Laura Ferreira disse...

gosto da água deste rio..

Olinda Melo disse...


Rio que corre para o Mar, este Mar de todos os arados, que sulcam Palavras, moldam Poemas e trazem-nos Sonhos dos confins tempos.

Boa semana.

Abraço

Olinda

São disse...

ESpero que sim , que construas pontes( até para os meus espaços, onde nunca mais foste, rrrss, e onde -claro - não és obrigado a ir de maneira alguma!)

Se , involuntariamente,te ofendi apresento desculpas).

Boa semana

Cristina Cebola disse...

Embalada nas águas, sigo o curso desse sonho, onde a foz será o ponto de encontro, ou quem sabe, o verdadeiro despertar...

Boa semana!!!

Mar Arável disse...

SÃO

Um espanto o seu comentário
Nada a dizer a disparates

heretico disse...

sem culpa, nem mágoa - água pura bebida em mãos fraternas...

abraço, irmão amigo. poeta maior...

Ricardo Santos disse...

se estavas a fazer poemas (e como os fazes!), era quase tudo...