terça-feira, 18 de junho de 2013

PÁSSAROS LIVRES DARDEJAM NOS MASTROS





Num sopro de remos e passos
tento dar às palavras
a leveza das cinzas

silêncios expostos
derramados
na fissura das pedras
para agigantar em campânula
as paredes da casa

mas quando abro o portão
do cais
e solto os cães
para ouvir a escarpa
só os pássaros livres
não deixam de cantar

dardejam
nos mastros
para os barcos se moverem

 

25 comentários:

Lídia Borges disse...


Enquanto o fulgor de asas sobre os mastros se fizer sentir, os barcos prosseguirão, à procura do rumo do sonhado.

Um beijo

Maré Viva disse...

Muito intimista este teu poema, que fala de silêncio e cinzas, mas não exclui o canto livre dos pássaros!
Um abraço.

jrd disse...

Os teus cães sabem bem como levar aos pássaros livres a voz da escarpa.

Abraço Poeta

trepadeira disse...

"Só os pássaros livres não deixam de cantar".

Abraço,

mário

Sónia M. disse...

Que haja sempre pássaros livres e

que os barcos sempre se movam.

Bj

Jorge disse...

Lindas as palavras com a leveza das cinzas!

Ailime disse...

Lindo! Que pelo menos os pássaros continuem a cantar. Bj Ailime

Blueshell disse...

Deixa que os pássaros cantem...
Beijo
BShell

Mar Arável disse...

Blueshell

Canto com os pássaros

Sandra Subtil disse...

Que bom ainda haver pássaros livres. Que não lhes cortem as asas...
Beijinhos

ana disse...

Há sempre pássaros que cantam contra a corrente, felizmente!
Bj. :)

Cristina Cebola disse...

É obrigatório que a poesia voe em liberdade...

...talvez os barcos se movam...

Laura Ferreira disse...

Ainda bem que há sempre pássaros a cantar.

© Piedade Araújo Sol disse...

e esperamos que os pássaros livres nunca deixem de cantar.
mesmo que nem hajam mastros.
mas está a ficar difícil.

;)

Evanir disse...

Obrigada pelo lindo poema ,
que nos brinda a cada postagem.
Obrigada por fazer parte dos meus seguidores.
Um abraço carinhoso,Evanir.

Mel de Carvalho disse...

só em liberdade, estimado amigo, o canto tem e dá sentido à vida.

é um prazer lê-lo, sempre.

fraterno abraço
Mel

heretico disse...

pássaros quebrando campânulas...

em seu voo livre!

abraço, Poeta

Nilson Barcelli disse...

Há pássaros assim.
Mas estão em risco de extinção...
Excelente poema. Gostei imenso.
Um abraço.

*Escritora de Artes* disse...

Muito profundo e intenso...

Gostei demais..

Bjos

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Não sei que retiraria daqui, se quisesse enfatizar alguma coisa, porque está muito belo, o poema...

Parole disse...

As vezes é preciso soltar os cães para que os barcos se movam.

Genny Xavier disse...

Palavras desenham versos que eternizam imagens...
Atravessam oceanos pelos caminhos de vento...
Chegam, assim, tontas de voos e pousam leves (e livres) noutros portos...

(Assim teus versos me chegam)

Genny

Pérola disse...

Poesia com cheiro a maresia...

Brígida Luz disse...

A poesia corre-te nas veias,
leve e livre,
como um sopro de espumas.

Surpreendente e bela, sempre.

Bom fim de semana :)

Canto da Boca disse...

Só a liberdade faz do voo a plenitude dele!