sábado, 8 de junho de 2013

CORPO DE ASAS





Queria ver uma multidão
uníssona
em cada gesto teu
e vejo

Queria que tivesses um oceano
organizado
no azul dos olhos
e tens

Queria que fosses um corpo de asas
mas insistes em chamar às coisas
apenas o nome que elas têm

 

22 comentários:

Rogério Pereira disse...

O poeta pára o querer
sempre
onde tem de ser

a lei é
as coisas terem nome
(o corpo de asas vem depois...)

Um Jeito Manso disse...

Poderia ser um anjo pragmático, a contradição dos termos em forma de mulher alada. Mas talvez seja apenas uma mulher normal.

Muito bonito. Parabéns.

Dilmar Gomes disse...

Eis um belo poema.
Um abraço daqui do sul do Brasil.
Tenhas um ótimo fim de semana.

trepadeira disse...

Deixemos o corpo de asas sonhar.

Abraço,

mário

JP disse...

E esse corpo de asas há-de levar-nos aonde a nossa mente está....

Abraço

Lídia Borges disse...


Sem sonho e determinação, são vazios os gestos e os oceanos.


Um beijo

jrd disse...

Um dia virá em que as coisas terão nome e voarão livres.

Rita Freitas disse...

Interessante isto de chamar às coisas apenas o nome que elas têm.

Abraço

heretico disse...

talvez depois de "todos os nomes" a glória do voo...

que assim seja.

abraço, meu caro Poeta.

Janita disse...

O último terceto fez-me pensar que por muito que queiramos sonhar, a realidade é mais forte em certos momentos em que mais precisamos do sonho...

Beijos.

© Piedade Araújo Sol disse...

e assim é que está certo...

:)

Sandra Subtil disse...

Há sempre uma dura realidade castrando sonhos.

Justine disse...

A poesia e a vida. O desejo e a realidade...

Maria Luisa Adães disse...

Ela alhou numa única coisa,
mas deu todas as outras!

Somos humanos...

Linda forma de escrever!

Com ternura agradeço a amizade,

Maria Luísa

Maria João disse...


Tanto céu desperdiçado...

Um abraço, Eufrázio.

anamar disse...

Uma questão de pragmatismo.

Dia bom.

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

É possível voar...

bjo amigo

Canto da Boca disse...

E vamos voando nas asas da poesia, sem nos esquecermos, todavia, que as coisas, elas também se transformam em poemas, neste (teu) oceano azul em que costumamos mergulhar!

Linda, como sempre, Eufrázio!

Um beijo!

;))

Branca disse...

Muito belo!
Ser uma multidão, um oceano e inundar a vida de amor é tudo quanto de grandioso se pode desejar...

Beijos

Mel de Carvalho disse...

o pragmatismo a falar mais alto, o chão a exercer gravidade nos sonhos e nos destinos dos corpos alados

fraterno abraço
Mel

Menina Marota disse...

A realidade é, por vezes, o sonho de se ser real. Porque nessa realidade pode e deve habitar o sonho.

Gosto muito de te ler.

Um abraço!

ana disse...

Muito belo! :)