quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

PESTANEJÁMOS UMA VÍRGULA





Lá onde todos os azuis
se reunem para cantar
e os olhos chegam dulcíssimos
nem sempre acontece
uma pauta de timbres

mas tu trazias no corpo
um rasto de asas
na voz um azul distante
que despertou os silêncios da casa

Neste jardim de corais
é possível beijar as pedras

pestanejámos uma vírgula
e tudo ficou mais claro

 

27 comentários:

Lídia Borges disse...


Escuto a canção dos azuis e tudo me parece claro.


Um beijo

Jane Gatti disse...

A clareza depois de um pestanejar de vírgulas! Como chegar a ela? Basta o silêncio? Ah, os mistérios da vida... Abraços.

Rogério Pereira disse...

Lá... na tua escarpa...
É tudo sempre tão claro

Uma Rapariga Simples disse...

Que bonito. Não sei o que me ficou mais vincado, se o título, se todo o poema, mas gostei tanto.

jrd disse...

Ainda que curta, a pausa de uma vírgula oferece-nos a claridade.

Sônia Brandão disse...

Despertando os silêncios.

abs

© Piedade Araújo Sol disse...

com um sem virgula
o que interessa é o azul

beijo

:)

OceanoAzul.Sonhos disse...

E basta tão pouco para que se despertem silêncios.

cvb

trepadeira disse...

Um rasto de asas pestanejando uma vírgula,nem mais.

Um abraço,
mário

JP disse...

Bastou uma vírgula para percebermos esse silêncio que ecoa em nós.

Tudo fica claro.

Abraço

ana disse...

Um amor claro.
Beijinho.

Teresa disse...

Li "sem pestanejar"e adorei!

Canto da Boca disse...

Feliz de quem tem uma imensidão azul e por ele pode voar...

Desculpe a ausência, Eufrázio, meu tempo anda cada vez mais escasso, obrigada pela sua sempre presença no Canto.

;))

Sónia M. disse...

Claro, como só o Amor sabe ser...
Beijo

hfm disse...

Uma vírgula que vale por todos os sinais de pontuação!

OUTONO disse...

...a diferença de uma vírgula...

Rita Freitas disse...

E este poema traz esse azul distante.

Bjs

lino disse...

Saber virgular já é uma arte, quanto mais num pestanejo!
Abraço

Justine disse...

Muitas vezes é necessário pestanejar - às vezes até mais do que uma vírgula!
Muito interessante...

lis disse...

E nesse abrir e fechar de olhos 'pestanejámos' dias assim tão azuis como a pedras de anéis que guardamos na lembrança ,
e as vírgulas sempre arrumadinhas em seus poemas.

anamar disse...

Venho ler-te em voz alta no alto da tua" escarpa".

Beijo poético. :))

Branca disse...

Em tons de azul tudo se transforma, tudo é claro.

Beijos
Branca

Sandra Subtil disse...

Eu acredito em pássaros azuis porque os vejo e sinto claros em mim...

heretico disse...

sabe-se lá o que um breve pestanejar é capaz!...

que os todos azuis se fundam. num grito rubro...

abraço-te, Poeta amigo

Maria João disse...



Às vezes, a claridade dos olhos é esse segundo em que as palpebras se movimentam.

Um abraço

manuela baptista disse...

por isso

entre dois dedos, uma pestana
e pede-se um desejo


claro é o seu poema

Maria Emilia Moreira disse...

Pestanejar virgulas...no meio do azul ...o resultado é este: um poema magnífico. Abraços.