terça-feira, 1 de janeiro de 2013

A SENHORA DA LIMPEZA




 

Antes de chegar às galerias, identificaram-me com um sorriso.
Subi no magnífico elevador, conduzido por um delicado polícia.
Sentei-me nas galerias e olhei para baixo. Lá estavam os representantes da nação. Os eleitos da república. As palavras cruzadas, as ideias esgrimidas, as bandeiras nas lapelas, os passos perdidos, os aparelhos políticos. Os credos e os farsantes. Desiguais.
Inocente segredei a um jovem cabisbaixo, companheiro de galeria:

Coisa linda esta democracia.
Lá em baixo também estavam os meus, pouco numerosos ainda mas a combaterem pela maioria que vive nos subúrbios de tudo.
Lá em baixo quase todos esquecidos de subir os olhos para as galerias, tricotavam a verve, gesticulavam poses de verniz.
De quando em vez disparavam blasfémias, partilhavam impropérios para mais tarde se abraçarem à hora do repasto.
Inocente o jovem cabisbaixo segredou-me:

Comigo um dia isto vai ser diferente.

Terminada a sessão plenária os deputados sairam como estava previsto. O amplo salão ficou vazio e solene. De tantas memórias.
O salão ficou vazio mas deixei-me ficar até ser convidado, pelo mesmo delicado polícia.
Foi um dia que resolvi festejar em silêncio.
Procurei um restaurante no belo bairro de São Bento e sentei-me à mesa.

Serviram-me o intragável discurso do primeiro-ministro, em diferido.
Os ácidos bem convergiram, mas não foram eficazes para digerir o falacioso paraíso.
Fechei os olhos, abri os olhos e pedi o livro de reclamações, onde escrevi:

O que me serviram está fora do prazo. Quando chega a nossa vez?

Levantei-me da mesa sem pagar. Os empregados ficaram a ler o meu protesto.
Lá fora ouvi alguns aplausos, mas fiquei na dúvida quanto ao seu voto.
Dei uma volta ao quarteirão e na passagem ainda olhei para a fachada do palácio.
Larguei um viva à república, à liberdade e ao 25 de Abril.
Para meu espanto a porta rangeu. Começou a abrir-se lentamente.
Era a senhora da limpeza.


 

45 comentários:

JP disse...

"Um dia isto vai ser diferente"....pois quero acreditar que sim.

Para já um grande ano para si

Abraço

Rogério Pereira disse...

Disse-te uma vez e te repito
Não era nada a mulher da limpeza
Julguei que já sabias...
Era a própria República
Convertida em "mulher-a-dias"

(este teu texto é um documento histórico)

Rain disse...

Espectacular! E que inicio de ano, com esta força. Adorei. A escrita não a porcaria do estado da nação, mais a corja de vermes de gravata e discurso fácil, de volta do moribundo (povo) na casa que devia ser a mais ilustre da nação (assembleia)Beijinho. Bom Ano! Boa semana.

Um Jeito Manso disse...

Seja a Senhora da Limpeza, seja a República, seja a Padeira de Aljubarrota, seja quem for, as verdades e as revoltas começam muitas vezes nas palavras e nos gestos das mulheres :)

Feliz Ano Novo!

ana disse...

Mar Arável,
Que intensidade emana do seu texto:
alguma tristeza? - Como o entendo.
Beijinho e Bom Ano!

vieira calado disse...

Saudações poéticas!

Meu caro:

O mundo não acabou... como previam os sábios Maias...
Por isso lhe desejo um ainda melhor, este novo ano para 2013.



MAR disse...

:)
FELIZ AÑO Y FELIZ VIDA.
Un abrazo grande.
mar

Maria João disse...



Atentos...
ouviremos
veremos e lemos
e resistiremos porque não podemos ignorar.

Um abraço e um Bom Ano

Maria P. disse...

Feliz 2013!
Apesar de...

Beijinhos*

Vento disse...

magnifico!

beijo.

lino disse...

Pelos vistos a senhora da limpeza chegou atrasada!
Abraço

Lídia Borges disse...


Uma limpeza a fundo, faz falta. Há fungos apodrecidos por todo o lado.

Gosto deste modo de dizer!...

Um beijo

samuel disse...

Venha ela, a limpeza!
Isto tem mesmo que deixar de ser assim...

Abraço.

Fê blue bird disse...

Parabéns! Um texto que diz tudo!
Precisamos de uma urgente limpeza.

beijinho

Brown Eyes disse...

Mar eu acredito que só haverá limpeza quando decidirem alterar a maneira como somos representados. Os partidos políticos não defendem o povo e só querem ser eleitos para terem benefícios. Depois de eleitos esquecem tudo e só tentando defender os seus interesses. Excelente texto

Isa GT disse...

Durante décadas os portugueses elegeram sempre os maiores e melhores profissionais da "limpeza"... de dinheiro... foi cá uma "limpeza" ;)
São tão bons que até conseguem "limpar" a senhora da limpeza...

Bjos

Beatrice Mar disse...

obrigada!
bom ano.
beij

Isabel disse...

Há que ter fé que aos poucos desapareçam os livros de reclamação.

Um beijinho

AFRICA EM POESIA disse...

neste novo ano desejo o melhor do mundo e...


Novo Ano
Nova Vida
Nova Esperança...
Novo Recomeçar...

E neste Ano

Eu quero
Nova vida
Nova Esperança
Novo Renascer...


um beijo (espero um melhor 2013... o 2012 cansou-me muito...)

Sandra Subtil disse...

"De quando em vez disparavam blasfémias, partilhavam impropérios para mais tarde se abraçarem à hora do repasto."

Corja!!!

Que texto magnífico! Pena a realidade que lhe dá vida...

Um excelente ano para si, Eufrázio.

Teté disse...

Faço meus os seu votos: Viva a República, a Liberdade e o 25 de abril! :)

BlueShell disse...

Um texto espetacular e apropriado...Gostei mesmo. BS

Laura Ferreira disse...

eh eh
gostei gostei.

Branca disse...

Caro amigo,

Já li este texto-poema várias vezes.
Tão genial que não sei dizer. Encantou-me a reclamação e deixe que lhe diga, com esses vivas fortes à república, à liberdade e ao 25 de Abril só poderia aparecer a senhora da limpeza...

Beijos
Branca

Morgan Nascimento disse...

Olá, parabéns pelo blog!
Se você puder visite este blog:
http://morgannascimento.blogspot.com.br/
Obrigado pela atenção

MJ FALCÃO disse...

Bonita, bonita era a imagem da República, meio espantada, meio curiosa... Boa fotografia mesmo!
De resto, façamos Vivas à república e ao 25 de Abril, enquanto pudermos...
Abraço e bom ano!

Justine disse...

Uma excelente estória de sentidos cruzados, meias-metáforas, desejos e esperanças! Retrato do nosso tempo...

Olinda Melo disse...


Excelente reflexão, Mar Arável, sobre os nossos representantes e a própria democracia.

Um Bom Ano Novo.

Abraço

Olinda

bettips disse...

Perfeito! Visualizei todas as cenas, o almoço acre, uma figadeira estragada, até a senhora da limpeza, com a bata às três pancadas e os salários em atraso.
Cá por mim, varria-os, aspirava-os, deslocava-os para ... a Madeira, em dia de temporal? Até é vergonhoso estarem num sítio tão significativo, tão belo e serem (a maioria) um bando de ladrões da democracia.
Bom Ano, boa verve, boa luta!

Pata Negra disse...

Não são todos iguais, tal como não são todas iguais as senhoras da limpeza! Mas que isto está a precisar de uma limpeza, lá isso está!
Um abraço de quem acredita nas vassouras desde que não sejam voadoras

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Meu querido Poeta

Infelizmente uma reflexão muito verdadeira sobre o estado a que isto chegou...a sujidade impera e precisamos mesmo de uma limpeza profunda.

Um beijinho
Sonhadora

heretico disse...

que viva a República - limpa! e que venha o dia claro...

excelente guião cinematogratico - assim o cinema viva!

abraço, meu amigo e meu irmão.

Maria João Brito de Sousa disse...

Deliciei-me, Mar Arável, deliciei-me!

O meu abraço!

Miguel disse...

Feliz año... te regalo las palabras de este abrazo.

R. disse...

Caro E., o meu voto e aplauso também se lhe dirigem veementemente. E junto os meus "vivas" aos seus.

Um abraço.

Rain disse...

Deixo-te um beijo e votos de boa semana! Um Abraço, para compor e proteger do frio. :)

© Piedade Araújo Sol disse...

muito bem....

fará uma limpeza daquelas....

boa semana.

beijo

elvira carvalho disse...

Excelente texto. Sabe eu acho que em Portugal não há uma cultura politica. Daí que se o prato que se apresenta na mesa de eleições não presta, as alternativas são igualmente duvidosas. O povo tem a sensação de que todas as discussões são só para português ver, fora da Assembleia são todos amigos. Por outro lado, o próprio povo que clama todos os dias, que vai a manifestações várias, etc, na hora de votar vai para a praia, para as férias, ou sei lá para onde. Ir às mesas em massa mostrar a sua força e decidir o seu futuro é que não. Depois levam os 4 anos em oposição e dizendo que não votaram neles. Pois não. Nem neles nem nos outros.
Um abraço e que 2013 não seja tão mau quanto esperamos.

Rain disse...

Olá! Tens um prémio (presente) no meu blog. Se não ligares a essas coisas não fico aborrecida, mas se achares de o trazer deixo-te aqui o aviso. Beijo grande, obrigada pelas ruas visitas e carinho. Boa semana!

Rita Freitas disse...

Que Portugal precisa de uma limpeza, precisa..

Bjs.

Mel de Carvalho disse...

tenho por certo que já não vai lá com os métodos tradicionais.
mas também acredito que para cada veneno existe sempre um antídoto...

no caso, uma vassourada nestes "ninhos de poupa" (leia-se "merdosos")

excelente, como sempre, Eufrázio
fraterno abraço
Mel

maria teresa disse...

Será que a Senhora da limpeza já não tem forças para limpar, em profundidade, todo o bolor contagiante que por lá grassa?
Abracinho meu!

Jorge disse...

Gostei deste texto!
Um abraço.

Donagata disse...

Simplesmente Fabuloso.

Viva a República, a Liberdade e o 25 de Abril!

Canto da Boca disse...

É preciso fé pra poder sonhar...