terça-feira, 4 de dezembro de 2012

NOS BRAÇOS FLORIDOS DO MEDRONHEIRO






Num lento amanhecer
acendi um fósforo
para alumiar o tempo
nas pedras altas

Regressado à escarpa
comecei a escrever
na cal das paredes

e logo deram à costa
uivos de vento
silvos de barcos
palavras em carne viva
trabalhadas à mão

pássaros mais leves
que a neve derramada

Quando regressei à escarpa
exaustos
uivos silvos palavras
poisavam desgrenhados
nos braços floridos do medronheiro

 

20 comentários:

Lídia Borges disse...


Porque o tempo de florir cumpre-se sempre no tempo certo, alheio a presságios e predestinações.

Um beijo

jrd disse...

Do poema como desabafo. Do poema como só tu sabes.

Abraço

elvira carvalho disse...

Excelente.
Um abraço

Um Jeito Manso disse...

Mas o medronheiro nesta altura está lindo, cheio de pequenas campânulas brancas e com medronhos amarelos e vermelhos, doces. E isso talvez compense.

mariam disse...

Belo!
... na inquietação, o conforto de um abraço...

um sorriso :)
mariam

BRANCAMAR disse...

Sempre um prazer ler os teus versos, de uma grande beleza metafórica.

Beijos
Branca

tossan® black&white disse...

Abundante...! Um dos mais intensos da página. Abraço

Sônia Brandão disse...

Sempre se encontra abrigo.

bj

Secreta disse...

Palavras que gritam sentimentos e semeiam emoções.

Pata Negra disse...

Não vais levar a mal! Sabes que sei ver quando as palavras se arranjam e se põem em palco para representar a poesia! Abrir o mar arável, é abrir um pano!... Mas fizeste-me lembrar a aguardente de medronho!
Um abraço e um gulo

Parole disse...

Genial e belo.

Um beijo.

Evanir disse...

Estamos a poucos Dias do Natal
agradeço seu carinho no decorrer de mais um ano ,
que esta chegando ao Fim.
Só tenho que agradecer a Deus por sua amizade,
agradecer acima de tudo Deus por ter preservado
minha vida por mais um ano.
Em meio a tantos obstáculos passando
por cada um deles movida pela fé e esperança de Dias melhores.
E para encerrar o Ano com chave de ouro coloquei
mais um livro em sorteio no meu blog.
Para participar basta ser seguidor colocar o selinho de participação que esta na postagem do meu blog
manter seu blog atualizado pelo menos 8 dias no Dia do sorteio.
Conto com sua participação.
Uma abençoado final de semana beijos no coração,Evanir..

Mar Arável disse...

PATA NEGRA

Meu caro Rei dos Leitões
ergo a minha taça
ao teu humor
Abraço amigo

Silenciosamente ouvindo... disse...

Metaforicamente a sua poesia
diz muito. É preciso lê-la
silenciosamente e senti-la.
Bj.
Irene Alves

Rogério Pereira disse...

Outro poeta
Te falou em predestinações
Não saias da escarpa
E verás
Um barco
Sem mastro,
sem ré, sem proa,
sem leme, sem casco
Só vela
E um sorriso
e um punho erguido
dentro dela

Não saias da escarpa

Anónimo disse...

Num lento amanhecer
acende-se um fósforo
para alumiar o tempo
e o beijo dos amantes...

Um abraço, Filipe

Maria Jose Batista

© Piedade Araújo Sol disse...

as palavras ganham asas
e
podem aparecer nos braços do medronheiro
que entonte os corpos e até a alma


;)

Vi disse...

Belíssima passagem de sonho! Palavras aqui enterram-se no mais profundo de nós.
Gosto disso.

Abraço!

Vi
www.bardodataverna.blogspot.com
facebook.com/vicentrix

Justine disse...

Vivá boa poesia!

Canto da Boca disse...

As palavras em carne viva, inscritas na cal, eternizando emoções e poesias.