terça-feira, 6 de março de 2012

AZUIS QUE SE DESFOLHAM



Nem todas as lágrimas
caem dos céus
tantas são as madrugadas
na tua boca ao relento

desejos ocultos que alumiam
fogueiras tranças
baladas e ancas
caminhos longos

Quando sobes escarpas
a pulso
descobres raizes improváveis
por onde corre um rio cigano

e há velas latinas
que remam barcos
contra o vento

azuis que se desfolham
para a chuva cair apátrida
nos teus olhos


 

37 comentários:

Rogério Pereira disse...

Poema que se olha
que se bebe
que se devora
que se toca
que nos toca

não se comenta
saboreia-se

Maria disse...

São sempre belos os teus poemas.
Este, em azul, é para comer.

Beijos.

© Piedade Araújo Sol disse...

poema terno, sensual, com lágrimas e sentires.

gostei muito!

uma boa semana.

um beij

hfm disse...

Gostei muito. Ficou-me gravado esse "rio cigano".

Flor de Jasmim disse...

Nos olhos!
De olhar com olho fisico que por vezes se esquece de olhar com a alma e sentir o coração pulsar.

Beijinho e uma flor

BRANCAMAR disse...

Depois de ler o comentário do Rogério, fiquei sem palavras, porque já nem as tinha, mas melhor que eu ele traduziu a sensação de te ler aqui, bebendo as palavras que têm a tua marca profunda e nos toca.

Beijos
Branca

folha seca disse...

"Quando sobes escarpas
a pulso"...
Caro poeta aqui se encontra um certo destino traçado. Quantos não chegam ao cume mesmo sangrando das mãos até à ultima gota.
Abraço

Fernanda disse...

"Nem todas as lágrimas caem dos céus"
a maioria rebenta com a força do trovão.

Beijo

OceanoAzul.Sonhos disse...

nestes azuis que desfolham, me quedo... posso até ver os barcos remarem contra o vento.

abraço
cvb

trepadeira disse...

É isso,não se comenta,aceita-se como um mimo,uma carícia.

Um abraço,
mário

Sandra disse...

"para a chuva cair apátrida
nos teus olhos"
Lindo!
Em mim brotou aguaceiro ao ler este poema

lino disse...

Que caia a chuva!
Abraço

irene alves disse...

Maravilhoso poema e os tons de azul...O amigo foi autarca?
Um beijinho
Irene

Isabel disse...

Algures entre a tristeza e a esperança...

Um beijo

jrd disse...

Muito bom! Poesia liquida e pura.

poetaeusou . . . disse...

*
belo poema !
,
eu quero um mar de azuis,
azul celeste, claro, escuro,
cerúleo, bebé, índigo . . .
escarpado de azul marinho !
,
saudações ficam.
,
*

heretico disse...

belo poema e enorme Poeta...

gosto dessas velas latinas contra o vento.

abraço, Amigo.

SAM disse...

Querido Mar Arável,

Li o poema com tanto sentimento que o levo impresso na alma. Obrigada.

Beijos com carinho.

www.amsk.org.br disse...

E há de se navegar nos azuis,
contra o vento que seja,
na certeza que a chuva, apátrida com ceteza, beije olhos como os teus.

um beijo
dzorlo angalli

Marta disse...

E que se escreva sempre azul..
Haja sempre uma vela erguida....
Lindo...
Obrigada pela visita.
Beijos e abraços
Marta

Carlos Ramos disse...

Belissimo, celeste.

Lídia Borges disse...

Há azuis assim, absorventes e sensuais. Quem os disse frios?

Um beijo

mfc disse...

Um poema que é uma carícia extremamente saboreada!

Anna disse...

A deixar-me sem fôlego, como sempre...

Boa noite, Mar Arável

Parole disse...

Belo... Como sempre.

Beijinho.

manuela baptista disse...

azul búzio


um abraço

Mel de Carvalho disse...

é da chuva o dulcíssimo tributo à terra arada e dos rios o azul que chega à foz.

são belos os seus textos, meu amigo. nunca me canso de repetir. belíssimos. bem-haja

abraço daqui
Mel

rouxinol de Bernardim disse...

Poema com afetos e pleno de eloquência!

Graça Sampaio disse...

Que lindo! Que lindo! Que imagens ternas e sensíveis que têm tanto de diáfano como de erótico. Muito bom!

Parabéns. (também gostava de saber escrever estas bolinhas de cor!)

carla disse...

Um poema repleto de afectos e de sensualidade

Bom fim de semana

Carla Granja
http://paixoes-encantos.blogs.sapo.pt/

ana disse...

Muito bonito este poema melancólico.

Venho deixar-lhe um presente:o sêlo "prémio Dardos" que está do lado esquerdo do meu blogue. O prémio destina-se a valorizar os poemas encantores que coloca aqui no mar.
Beijinho.

www.amsk.org.br disse...

Um prêmio com o carinho da Cozinha dos Vurdóns:

"O Prêmio Dardos reconhece os valores que cada blogueiro mostra em cada dia no seu empenho por transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais... que, em suma, demonstram a sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre as suas letras, entre as suas palavras."

http://cozinhadosvurdons.blogspot.com/2012/03/nais-tuke-pelo-premio-batatas-festivas.html

Mar Arável disse...

Ana

Grato pelo seu dardo
Bjs com estima

Licínia Quitério disse...

Gosto das palavras. Gosto do ritmo. Gosto!

Sonhadora disse...

Poeta

Que sempre o azul seja a cor dos sonhos.


Beijinho com carinho
Sonhadora

OutrosEncantos disse...

esse poema é arrepiante!
lê-se de empreitada com as entranhas em alvoroço!
como quem ouve a tua voz com o olhar perdido no infinito.
belissimo!!!

beijo, Mar.

Canto da Boca disse...

"Nem todas as lágrimas caem dos céus", mas há um céu em cada gota de água que deságua, escarpas, olhos do desejo...