sábado, 8 de outubro de 2011

GUIADA PELO MEU CÃO




Quando o vento em torvelinho
se escancarou nas águas
abriram-se janelas de luz
neste chão de marés
para tu passares

Pelos sinais
desobrigada sereníssima e sem quebrantos
despertaste os barcos
numa carícia de tremulinas

Eras tu senhora
guiada pelo meu cão

 


36 comentários:

www.amsk.org.br disse...

Que suavidade,
que ternura,
me senti a beira, nas portas do mar.
Esse poema me trouxe saudade de casa.

cozinha dos vurdóns

OutrosEncantos disse...

..."desobrigada serenissima e sem quebrantos... eras tu senhora guiada pelo meu cão"...

há Mar e mares
há ires e voltares...

este é seguramente o Mar onde navegar é viagem imprescindivel!

beijo, Mar!

Lídia Borges disse...

Um momento mágio, por certo, como mágicas são estas palavras a pintar momentos.

L.B.

Virgínia do Carmo disse...

Tanta luz

- De janelas abertas -

- De barcos despertos -

Um abraço

Rogério Pereira disse...

Os cães tem, no tino,
o faro do caminho certo

blueangel disse...

A beleza surge na simplicidade.
Tão simples e tão belo.

Um abraço

Blue

Sara disse...

Os bons guias tendem a produzir serenidade naqueles que são guiados. Será este, talvez, o caso.
Um abraço.

Mirian Martin disse...

Ah, senhora senhora... Ainda senhora seria no rasgo deste mar?

bjs

SAM disse...

Mar,


O poema e a ilustração são belíssimos. A alma entende, o coração agradece.


Beijos com carinho.

Flor de Jasmim disse...

Em poucas palavras descreve algo de tão belo.
Beijo e uma flor

parole disse...

Um poema que mais parece uma carícia...

Pata Negra disse...

Por vezes tenho vontade de ser cão. A ladrar imito-os mal mas a nadar!...
Um abraço como um verso

BRANCAMAR disse...

Cumplicidades, que confesso senti fortes e me impressionaram, mas até hoje não fui capaz de comentar. Às veezs, muitas vezes, a poesia não se comenta, sente-se.
Ao ler o Rogériop senti que hoje a minha interpretação foi mais longe...

Beijos
Branca

Canto da Boca disse...

Diante do poema eu construo uma figura diáfana, que ao contrario de deixar passar por ela esses raios de luz, faz o percurso inverso, passa através deles.

Repetindo-me: belo!

BlueShell disse...

Sintonia prfeita: palavras e imagem.
Bj

Eduardo Miguel Pereira disse...

Quase senti o cheiro da maresia e o salitre nos lábios.
Belo, muito belo.

Artes e escritas disse...

Os cães guias são dóceis, que belos versos. Sigo o seu blog. Um abraço, Yayá.

ana disse...

E há melhor guia que um cão amigo?
O cão que sabe olhar as estrelas também sabe guiar as musas.
Abraço! :)

mfc disse...

Estes seriam os meus verdadeiros dois amores...!

folha seca disse...

Caro Eufrázio
Só sobra uma palavra para o comentário: belo!
Abraço

marlene edir severino disse...

Mágico!

Abraço daqui!

Nilson Barcelli disse...

Não é por acaso que os cães são os melhores amigos do homem...
Excelente poema. Gostei.
Caro amigo, tem uma boa semana.
Abraço.

manuela baptista disse...

e era o cão, fiel

tremulinando velas



gosto muito deste poema!

um abraço

heretico disse...

tiro certeiro!...
e cão bem treinado...

abraço, Poeta!

Maria Valadas disse...

Saudades de encontrar o mar.... o teu mar.
Beijo.

São disse...

Muito abalizado.
Tudo de bom

Fê-blue bird disse...

Um poema sereno e belo enquadrado na perfeição pela imagem.

beijinhos

Lena disse...

Um prazer vir aqui
e ler te...

Beijinhos

Mona Lisa disse...

Olá

Suavidade e ternura no teu belo poema.

Bjs.

Rúbida Rosa disse...

Desejo a mesma janela, o mesmo caminho... preciso encontrar esse cão encantado!
Abraço!

Secreta disse...

Serenas palavras, que nos transportam para a magia que nelas colocas.
Beijito.

Licínia Quitério disse...

O cão do poeta tem as suas obrigações :)

Laura Ferreira disse...

E era decerto bem guiada...

© Piedade Araújo Sol disse...

os cães são bons guardadores e guiam os passos...

um beij

Karl disse...

A água que purifica... que torna tudo mais claro. E próximo.

OceanoAzul.Sonhos disse...

E passa serena pelas águas do mar...

abraço
oa.s