quinta-feira, 20 de outubro de 2011

ETERNOS A PINTAR SOMBRAS



                                                                  Ana Luiza Kaminsky



Regressámos ao sítio
onde crescem silvestres buganvileas

Foi aí em recato
que rasguei o que julgava ser um poema

Lá no cimo da Arrábida
em visita guiada
aos azuis do Sado
no mais íntimo dos silêncios
observei a anatomia
dos teus gestos
quando te revelaste
quase ninfa
a invadir impossíveis
ao alcance dos dedos

Ali ficámos eternos
a pintar sombras
que se alumiam

a inventar flores amanhãs e outros relâmpagos



38 comentários:

mfc disse...

A maravilha do encontro dos corpos num quase paraíso natural!
Linda alegoria poética.

Rúbida Rosa disse...

Os poetas... sempre inventando belas coisas...
abraços!

BRANCAMAR disse...

Tão belo que nem sei dizer!
A isto se chama poesia da mais pura água, onde os sentimentos brilham como luzes que cegam, por tràs das metáforas.

Beijos

Isamar disse...

Um bonito poema de amor numa paisagem romântica como é a da Arrábida, seu Portinho e Azeitão.

Bem-hajas!

Beijinho

trepadeira disse...

"A invadir impossíveis ao alcance dos dedos...".

Uma frase linda,diz tudo.

Um abraço,
mário

Isabel disse...

Simples e lindo.
Bom dia

hfm disse...

As sombras são fruto da luz por isso podemos e devemos sempre inventar.

www.amsk.org.br disse...

Tanto o poema quanto a tela são maravilhosos.

Poderi aeu ficar sentada horas vendo uma tela assim. Parabens pelo bom gosto.

bjs da cozinheira

Maria João disse...

É no mais íntimo dos silêncios que se rasgam os poemas mais belos.


Um abraço

deep disse...

Belo. :)

Eduardo Miguel Pereira disse...

Sem desprimor para o poeta, basta-me a invocação da "minha" Arrábida para me deixar logo embalar num mar de sonhos.

p.s.
Ainda no Domingo passado suei as estopinhas ao subi-la à força do pedal ! e o bem que aquilo me faz ! ao corpo e ao espírito. Sábado lá estarei, para nova dose.

Secreta disse...

Que dizer? Lindo!
Beijito.

© Piedade Araújo Sol disse...

sombras que se alumiam.

que dizer deste poema?

que mais uma vez o autor nos soube brindar com palavras profundas e bem escolhidas.

um beij

difusosreflexos disse...

A mais bela e pura poesia
a dos encontros dos corpos
na~paixão e na emoção
que não se deixa aplacar.

Belo momento.

Parabéns

Agradeço a visita.
Voltarei

Sofia

ana disse...

Mar Arável,
Belo, muito belo o conjunto. Silêncio para ver o mar. :)

Impressionou-me o seu comentário.
Tem razão, os pássaros não se desnudam.
Bjs. :)

manuela baptista disse...

rasga-se um poema
pinta-se a luz das sombras

se for na Arrádida, será melhor!

um abraço

manuela

antonio ganhão disse...

Um fresco sobre uma tela azul.

ERA UMA VEZ disse...

A última vez que escrevi sobre estes nossos lugares...não tem muito tempo...



Gosto do meu Sado ao fim da tarde
quando viajante fatigado
se entrega nos braços do seu mar
gosto do seu azul inebriante
paraíso de golfinhos navegantes

ternurenta
espreito o meu rio
e o mar adiante impaciente

de um lado
o areal imenso quase deserto
em busca de alentejo
do outro
vejo
a "serra mãe" sempre por perto

e as margens(essas)
são as mais deslumbrantes damas de honor
de um casamento eterno...

OceanoAzul.Sonhos disse...

que a eternidade continue, lá no cimo, em contemplação...

abraço
oa.s

lino disse...

São urgentes outros amanhãs!
Abraço

R. disse...

A 'invasão de impossíveis ao alcance dos dedos' sugere-me um toque indelével no que é aparentemente inalcançável.

Um abraço

Valquíria disse...

Maravilhoso! a pintura dos seres em pura vida.bjos.

Flor de Jasmim disse...

A beleza dos encontros e a sensibilidade de comtemplar a natureza.
Lindo Eufrázio.
Beijo e uma flor

Ana Paula Sena disse...

Inventar é preciso!

Um abraço :)

parole disse...

Gosto de pensar que tudo é possível... Encantador como sempre.

Beijos e ótimo fds.

Mel de Carvalho disse...

Uma escrita sempre sensível e pujante.

Bem-haja, Eufrázio.
Abraço daqui, meu amigo. Bfs.

Mel

Mona Lisa disse...

Olá

A poesia no amor dos corpos que se encontram...

Bjs.

Lídia Borges disse...

Admirável!...
A suavidade imensa de um estar livre de sombras, respirarando a vida em estado puro.

Um beijo

quanto pesa o vento? disse...

que sensação magnifica.
sublime!
abraço.

Justine disse...

Um grande poema de amor!

Sara disse...

É assim, em espaços de tranquilidade, que tantas vezes se torna possível alumiar as sombras. Gosto da possibilidade construída pelas suas palavras.
Um abraço e boa semana.

Pata Negra disse...

e assim se cumpriu mais uma poesia!...
Um abraço e pára de inventar flores porque elas estão ao pé de ti

Canto da Boca disse...

Certos momentos ficam para sempre presos à memória da pele, e dos sentidos.

heretico disse...

inspiradíssimo Poema. deslumbrante e belo, como paisagem da Arabida.

abraço, caro Poeta.

Maria Marluce disse...

...E as paisagens estão aí para serem pintadas à luz da poesia.

Karl disse...

Inventar relâmpagos sempre foi um sonho de criança... Daquelas imagens que nos ficam para a vida toda.

Analuka disse...

Caro amigo , que bom encontrar minha pintura aqui junto de teu poema! Um belo poema tecido de pensamentos, sonhos e sentimentos leves e azulados!!! Deixo abraços alados, anis...

Hanaé Pais disse...

Linda imagem, muito florida!