terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

DESPIDOS DE TUDO

gustav klimt

Eternos e frágeis
no marulhar de um concerto de pássaros
foi assim que nos invadimos
despidos de tudo

Sentei-me no teu chão
coloquei o indicador
no lado esquerdo do rosto
fixei-me nas paredes da casa
e acendi os retratos mais fluidos

só para te ver dançar

vertebrada
sensual
sem idade
fio de música
a tornear esquinas e becos
numa coreografia quase perfeita

Lá estavas inteira
a desbravar caminhos
a assumir a dimensão
do cisne branco
em pontas
vermelhas

nas minhas águas

Eternos e frágeis
no marulhar de um concerto de pássaros
foi assim que nos invadimos
despidos de tudo

42 comentários:

R.B.Côvo disse...

Muito bonito o poema. Um abraço.

folha seca disse...

Eufrázio
Em cada Poema que publica, lança-nos um desafio. Tentar perceber em cada conjunto de palavras o que de facto quer transmitir. Ao fazê-lo sinto que o poema me envolve e fechando os olhos partilho o concerto de pássaros.

hfm disse...

Belissimo!

Licínia Quitério disse...

Só no despojamento nos encontramos inteiros. Muito bonito o poema, como sempre.

VÉU DE MAYA disse...

Lírica erótica...Belíssima...Poeta. a pintura de Klimt é fantástica.

abraço,

Véu de Maya

Rogério Pereira disse...

Eternos e frágeis
no marulhar de um concerto de pássaros
foi assim que nos invadimos
despidos de tudo

Bem se podiam iniciar assim,
todos os poemas de entrega
esperando a todo o momento
acordar nessas águas

lino disse...

Lindo poema. Nós estamos a ser despidos de tudo mas sem receber nada em troca.
Abraço

Maria Marluce disse...

Nos despir de tudo nos faz viver intensamente as emoções. Envolvente seu poema.

© Piedade Araújo Sol disse...

muito bom, com um sensualismo contido.

e dancando com as palavras.

um beij

heretico disse...

excelente "pas de deux". rodopiante e belo...

abraço, caro Poeta.

Tania regina Contreiras disse...

Uma fragilidade que não se quebra, por isso eterna: belo!!!
Beijos,

Sandra disse...

Ouve-se a música.Vê-se a dança.
Sente-se a sensualidade.
Lindo

jrd disse...

Lindíssimo. A sensualidade à flor da água.
Abraço

JPD disse...

Muito bom e excelentemente relatado.
Um abraço

anamar disse...

É tão lindo , que vou fazer link, caso não leves a mal...
Beijinho
:))

flor de jasmim disse...

Eufrázio
A nossa sensabilidade é tudo e a acapacidade de perceber de entender as sensações. "eternos e frágeis no marulhar de um concerto de passaros" é de facto uma sensação maravilhosa que nem todo o mundo é sensivel a tal acto.
Beijo

ana disse...

Gostei muito. O concerto dos pássaros só podem ser rouxinóis porque fala de amor.
Abraço! :)

partilha de silêncios disse...

Lindo poema, paira no ar o som e a leveza do ser,despido de tudo.

bjs

Anónimo disse...

Maravilhooooso!!!
Simplesmente
liiiindo!!!

Despidos...
frágeis...
eternos...
puros...
sensuais...
...em qualquer idade!

Lindo!

bjs

princesa

Ana Paula Sena disse...

Gostei muito da imagem de "sentei-me no teu chão" :)

Um abraço ao poeta!

José Carlos Brandão disse...

Nascemos nus.

Mel de Carvalho disse...

Eufrázio,

O amor será, porventura, o sentimento que, simultâneamente, mais fragiliza e mais engrandece o ser humano, conferindo-lhe, quando vivido, a dimensão inigualável de um "marulhar de um concerto de pássaros". Um comungar com a natureza.

Que posso eu dizer que não tenha dito? A sua poesia, o seu talento, ENORME(s).
Um privilégio cada leitura (e releitura) deste novo conjunto de poemas a gritarem urgência de serem livro. Aplaudirei de pé :).

Bem-haja, Eufrázio.
Mel

Laura Ferreira disse...

Sim, consegui ver estas palavras a dançar.

Graça Pires disse...

"só para te ver dançar
vertebrada
sensual
sem idade
fio de música
a tornear esquinas e becos
numa coreografia quase perfeita..."
Tão belo que nem sei o que dizer.
Um beijo.

Secreta disse...

Despido de tudos que não vós...
Beijito.

Virgínia do Carmo disse...

Venturoso o poema que nos permite a nudez...

Um abraço

mfc disse...

A história linda de um encontro desejado.

AC disse...

"Eternos e frágeis
no marulhar de um concerto de pássaros
foi assim que nos invadimos
despidos de tudo"

A sua poesia encanta-me!

Abraço

carlos pereira disse...

Caro Poeta Eufrázio;
Poema de excelência.
Gostei imenso.
Um forte abraço.

rouxinol de Bernardim disse...

Soberbo, sublime, arrebatador.
Gostei.

Sara disse...

Eu diria que é um poema "despido" de preconceitos e vestido da substância da vida.
Muito belo!

mundo azul disse...

_____________________________


...assim é o amor! Como uma ressaca que não tem limites...

Lindo poema!


Beijos de luz e o meu carinho...

_____________________________

Sonia Schmorantz disse...

A leveza de quem leva para o amor, apenas as almas, despojadas do mundo comum.
Um abraço

R. disse...

E, invadindo, propõe-nos uma belíssima evasão.

manuela baptista disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
maria teresa disse...

Duas "obras" que considero muito belas a de Gustav Klimt e o seu poema.
Só despidos de tudo é que se consegue sentir, compreender e atingir o acto de AMAR.
Descreveu uma caminhada para se chegar ao PRAZER. Um prazer sem restrições...

Justine disse...

Despidos de tudo, menos de poesia. Indispensável.Bela. Eterna.

manuela baptista disse...

no lago

o cisne branco é uma princesa

cativa
em concerto de mar

pela eternidade frágil do seu poema,

obrigada!

um abraço

manuela

peço desculpa pelo comentário eliminado, mas, frágil, é uma palavra onde não me é permitido errar...escrevi fágil...

Mar Arável disse...

MANUELA BATISTA

Todas as eternidades

sugerem fragilidades

Grato pela sua visita

Marta disse...

Um dos meus pintores favoritos...tenho "O Beijo" no meu quarto, ou melhor...uma imitação.

Maria João disse...

E desnudados, somos inteiros.
Tão fortes e tão frágeis, à procura de chão e de pele.

Eta é a mestria de uma escrita exemplar!

Um beijinho

Secreta disse...

Passei para ler-te, e acabei por "re-ler"... :)
Boa semana.