quinta-feira, 8 de julho de 2010

DESFOLHADA

Soltei um pássaro
que me pousou no texto
mas não lhe evitei
o menear das pétalas
Só mais tarde
tão tarde
que já adormeciam as palavras
ouvi espargir irrepreensíveis
metáforas
na folha de papel
Soltei uma rosa
que se exala
quando a sopro para voar
mas sempre regressa
desfolhada
como um pássaro

27 comentários:

hfm disse...

O azul da foto de Helena Almeida faz ressaltar toda a pureza destas palavras. Belo.

antonio - o implume disse...

Os pássaros que esvoaçam os nossos sonhos são poderosos.

jaime disse...

Do pequeno almoço até ao fim do dia
estava sempre em casa com os meus amigos
- mas chegando a noite longe me afundava
e pela terra do Sono longe me perdia...

À distância me dava com todo o meu corpo
sem que soubesse o que iria fazer
- e eis-me sozinho ao sabor de correntes
e subindo também as montanhas do sonho.

Estranhíssimas coisas havia para mim,
fantasias para os olhos e doces de Nunca
- e visões terríveis que logo se iam
à luz da manhã na Terra do Sono.

Encontrar de dia o caminho para lá
foi sempre impossível, impossível sempre
- e acordado em casa não mais me lembrava
da estranha música da Terra do Sono...

Robert Louis Stevenson

lino disse...

Gosto das pétalas das rosas a esvoaçar como pássaros.
Abraço

Tania regina Contreiras disse...

Versos volitantes...coisa de instantes e estive bem aí no seu lugar!!!!
Abraços,
Tânia

ana disse...

As pétalas da rosa
podem confundir-se
com as penas do pássaro.

As penas voam,
as pétalas voam,

os pássaros regressam e pousam
na folha de papel que afinal
eram as pétalas da rosa.

:)

jrd disse...

Não há flores ocultas nas asas dos pássaros.
Abraço

JPD disse...

Belo!

Um abraço

Sônia Brandão disse...

Para que as rosas possam voar é preciso que os pássaros se desfolhem.

Li o seu belo poema e fiz este:

Ao ver a rosa no seu voo leve
O pássaro se desfolhava.

bjs

alice disse...

a palavra desfolhada remete-me sempre para a voz da simone de oliveira, não sei se gosta :) mas o poema também voa! beijinhos*

São disse...

Bonita maneira de escrever, como sempre.

Bom final de semana.

Justine disse...

Privilégio dos poetas, como tu, acabar sempre por ouvir "irrepreensíveis metáforas na folha de papel". Privilégio, também, para os que te lêem.

CCF disse...

Há coisas que nos regresam sempre, são das mesmo importantes!
~CC~

JB disse...

Nas asas desse pássaro, levei a rosa e poisei no mar arável.
Liberdade das palavras, do voo, da natureza.
Somos livres de partir, mas também de regressar, de ir ou ficar.
Lindíssimo poema!

Lídia Borges disse...

Estas palavras sabem criar[me] belas imagens cheias de movimento.

L.B.

Anónimo disse...

Os seis últimos versos
são
de uma beleza
extraordinária.

Abraço.
Bom fim de semana!

princesa

Graça disse...

Que saudades de te ler! A tua escrita aprecia-se num silêncio de admiração. Adorei o poema.


Beijo meu.

Virgínia do Carmo disse...

Será da força gravitacional do papel?...

Abraço

BRANCAMAR disse...

Este poema lindíssimo é uma bela metáfora da própria poesia.

A tua poesia é cada vez uma criação artística que nos envolve.

Beijos
Branca

tb disse...

Talvez um dia as rosas e os pássaros não voltem mais desfolhadas. Nunca é tarde para que sejam as metáforas a pousar na folha de papel.
bjinhos

Sara disse...

Um hino à liberdade, é assim que leio este poema. Uma liberdade concedida e traduzida, na volta da maré, em dádiva de criatividade, generosidade e lealdade.
Bom fim-de-semana!

BRANCAMAR disse...

No comentário acima, onde disse:
"...é cada vez", queria dizer "é cada vez mais" - a palavra que "comi" penso que foi apreendida, mas impunha-se dizê-lo.

Beijos
Branca

Maria João disse...

E que perfume exala dessa rosa...!

Um beijinho

Graça Pires disse...

Sinto o esvoaçar do pássaro e o perfume das rosas rondando o poema que acabei de ler.
Um beijo.

Licínia Quitério disse...

Quando flor? Quando pássaro?

Bj

maré disse...

fosse eu o esvoaçar
que exulta da página em branco, disse o livro.

da folha caiu uma gota de sangue.
são rosas, disse um pássaro, rosas esgotadas do vento.

beijo Eufrázio

gabriela r martins disse...

deixo.te o pássaro ,mas levo a rosa ,posso?



.
um beijo