quarta-feira, 21 de abril de 2010

CHÃO DE PÉTALAS

                                                          Gustav Klimt




A princípio eras um nimbo
a desfolhar-se
por entre mastros
no remanso das águas

um rio a gatinhar escombros
em surdina
um farol a projectar mais longe
a luz retida no cais

Foi assim
vestida de barcos
que te vi içar velas
contra o vento
até os olhos se fundirem
num vagaroso instante

Foi assim
que te ofereci os meus silêncios
muito antes de madrugarmos em flor

num chão de pétalas




41 comentários:

quicas disse...

Poema profundo, belo e de grande sensibilidade, com metáforas de imaginação penetrante - maravilha ter encontrado este "chão"!
Um abraço

Mateso disse...

Lindo! E depois Klimt...
Bj.

Graça disse...

Belo, sim. E tudo o mais fica no silêncio da minha admiração.


Um beijo.

Delirius disse...

Gosto dessa tela!
"O Beijo" de Klimt!

E o poema..., o poema está sublime, sobretudo o que escreveste com tinta que não se vê. Impressiona-me esse sentimento!
.............
"muito antes de madrugarmos em flor neste chão de pétalas"
Que ternura!
Beijo

Clarice disse...

Cada visita é a certeza de encontrar palavras arranjadas de tal modo que se tornam outras.
Lindo.
Abraço.

A.S. disse...

Madrugar em flor
num chão de pétalas
é gritar o silêncio
num beijo de Klimt...


Abraço!

Torquato da Luz disse...

Muito bonito. Abraço.

Lídia Borges disse...

Fico sem palavras quando a arte me toca, para além do habitual...

Realço:

"Foi assim
que te ofereci os meus silêncios
muito antes de madrugarmos em flor

num chão de pétalas"

Obrigada!

Memória de Elefante disse...

No último lapso
de um tempo sem limites
embora a gente o queira compor
em fragemntos
abriram-se as águas
e entrei onde sempre estivera.

O Silêncio está repleto de vozes...

Belo poema!

Abraço e agradeço a visita!

lino disse...

O poema merece bem a pintura.
Abraço

jrd disse...

O vagaroso instante em que nasce a flor do poema.
Belíssimo!
Abraço

Sonia Schmorantz disse...

Lindo poema, muito mesmo!
abraço

Maria João disse...

Vagaroso instante este, em que a leitura é mar, um chão arável de pétalas em palavras..

Especial, é especial o que escreve!

AFRICA EM POESIA disse...

Gostei de passar por aqui...

venho devagarinho deixo poesia e um beijinho

SOU MESMO...


Sou mesmo...
Da mesma terra que tu
Da terra do chão vermelho
Da terra batida cheirando a pó...

Sou mesmo...
Da mesma terra que tu
Onde todos saltamos os rios
Corremos a apanhar borboletas...

Borboletas de cores lindas...
De gafanhotos que saltavam
Que pulavam à minha frente
Como quem brinca às escondidas...

E brincava na palha do café
Apanhava bitacaias nos pés
Comia manga, safú e goiaba
Apenas porque...
Sou mesmo...
Da mesma terra que tu...

LILI LARANJO

G... disse...

Chão lavrado, arado, rico na oferta!
«Foi assim
que te ofereci os meus silêncios
muito antes de madrugarmos em flor
num chão de pétalas»
Vou dormir sobre este chão e sonhar com madrugadas em flor!
Fantástico
G...

Maria disse...

Às vezes não sei como comentar o que escreves. Ou dizer o que sinto quando leio o que escreves.
Prefiro ficar em silêncio, e olhar Klimt...

Um beijo.

Meg disse...

E, tal como a Maria, fico sem saber o que dizer.
Porque a tua poesia é isso mesmo... a beleza em palavras simples.
E o Klimt... que mais posso querer?

Beijos

Adriana Karnal disse...

Que linda essa metáfora de ser braco, vestir-se de barco....ser velas levadas pelo vento...

Delirius disse...

Teus cravos no meu canto.
Prometido é devido.
Espero não te desapontar ;)
Beijo.

legivel disse...

... dois estados de alma que se entrelaçam: o amor-amor e o abril-abril. Belo.

Abraço.

Justine disse...

Pétalas/palavras, prenhes de significado e força!

SILÊNCIO CULPADO disse...

Hoje é o Dia Internacional do Livro. Não faria sentido comemorá-lo sem por aqui passar, sem ler este poema que nos preenche.

25 de Abril Sempre.


Abraço

mdsol disse...

Trata-se de ler, gostar e sair devagarinho com o sabor da maresia destas palavras

:)))

Sofá Amarelo disse...

O chão de pétalas são os de melhor caminho para quem muito tem para caminhar...

luciana modesto disse...

perfeito! tela e texto que se fundem e nos levam embora pra dentro de nós...

parabens.

Virgínia do Carmo disse...

Vale a pena madrugar num chão assim...

Abraço

Vieira Calado disse...

Bem bonito

este poema!

Saudações poéticas

utopia das palavras disse...

Hoje um chão de pétalas rubras, depois da madrugada!

Como sempre belo...!

Beijo

mdsol disse...

E, porque sim, hoje, dia 25, deixo um :))) muito especial.

uminuto disse...

Klimt e palavras que se tornam néctar perfumado para os sentidos de quem as lê
um beijo meu

São disse...

Lindo o casamento entre a ilustração e o poema, como sempre.

Boa semana te desejo, neste dia de liberdade.

pin gente disse...

num chão de pétalas contemplarei klimt.

um abraço

partilha de silêncios disse...

Adorei o seu madrugar em flor, num chão de pétalas.

bjs

heretico disse...

perfeitos amores.

em chão de pétalas. madrugando em flor...

abraços, Poeta.

Barbara disse...

És um amante e tua musa, a terra que se espreguiça e se faz em tudo que te regala os sentidos.
Elementos todos contidos no fogo da paixão.

hfm disse...

Como uma cantata, de amor.

Manuela Freitas disse...

Conjugação perfeita, o quadro de Klimt e o poema cheio de subtilezas de uma alma sensível.
Gostei muito.

Brancamar disse...

Belíssimas as imagens metafóricas para que sempre nos remetes!
Quando entro aqui encontro emoção nas palavras, versos de uma qualidade superior na mensagem que transmitem de um amor amadurecido.

Com admiração.
Beijos
Branca

P.S. Obrigada pelos teus comentários sempre tão generosos, principalmente o de hoje, o post ainda estava em execução, mas as palavras não mudaram, apenas algumas imagens.:)

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

gostei de pisar neste teu chão tão cheio de cores

Aníbal Raposo disse...

Lindo poema, cheio de emoção.
As palavras certas.

maria manuel disse...

excelente poema, sublime final, os últimos quatro versos são de uma imagética belíssima.

abraço.