quarta-feira, 25 de novembro de 2009

SOLTAR OS PÁSSAROS



Os cães choravam em silêncio
e eu não sabia porquê

Pensei no pobre limoeiro a afundar-se
lá onde nidificam toupeiras
ao entardecer
na estrela persistente
que viceja à noite no portão
nos olhos claros de um certo azul
que ilumina a casa
no desfolhar ensombrecido
das roseiras

Vasculhei tudo
invadi searas proibidas
até ao mais íntimo da pele
pó, sombras, sonhos


Perguntei-te - quando desaguas?

e tu desaguaste à janela
a marejar entristecida
e eu não sabia porquê

Foi quando os cães se levantaram
para soltar os pássaros

42 comentários:

augusto, um entre mil disse...

Talvez surrealismo. Não, rótulos para quê? Surreal ou qualquer outra coisa, mas belo.

José Carlos Brandão disse...

Gostei mesmo.
Grande abraço.

hfm disse...

Permito-me destacar:

"Vasculhei tudo
invadi searas proibidas
até ao mais íntimo da pele
pó, sombras, sonhos"

Um abraço.

Vera disse...

O desaguar é uma figura metafórica e eu interpretei isso como um acto de liberdade, o soltar dos pássaros, o desaguar... Não sei se estou certa, sei apenas que gostei imenso do poema e este é um daqueles que gostava de ter sido eu a escrever!

Beijinhos

jrd disse...

Porque sobre este poema voa a liberdade.
Muito bom.

A Senhora disse...

Sabe que isto lembrou tanto um sonho que tive esses dias? É como passear em lugares nunca pisados, mas há muito conhecidos.
Tudo no seu tempo.

beijos

intimidades disse...

lindo

Jokas
Paula

JPD disse...

O voo e as asas(do desejo).

Belíssimo poema.

Estruturalmente irrepreensível.

Parabéns.

Saudações

Lídia Borges disse...

Gosto dos teus versos. Assim, só por que gosto!
O ritmo, o encontro das palavras com os sentimentos, as metáforas...
"...E tu desaguaste à janela
a marejar entristecida..."


Um beijo

alice disse...

desaguar é um verbo muito bonito que gostei de encontrar nestes seus dois últimos poemas. e neste a presença dos cães também me agrada. um grande beijinho.

Anónimo disse...

..."foi quando os cães se levantaram"...

Pois é, também "TODOS NÓS" nos temos de levantar... para correr com os "abutres"... que nos sugam, quotidianamente... o sangue...

Ab. - EL.

Maria Valadas disse...

Encontro-me em cada verso
...perdida.

Manuela Freitas disse...

Olá,
Muito interessante o poema. Nele encontro expressa a liberdade de ser, ultrapassados todos os impedimentos.
Bjs,
Manuela

gabriela rocha martins disse...

um dia ainda me hás.de ensinar a poetar ,certo?


.
um beijo

Meg disse...

Mar Arável,

Em cada poema, encontro imagens marcantes e belíssimas.
...e tu desaguaste à janela
a marejar entristecida
...

Lindo, mais uma vez.

Um abraço

Mar Arável disse...

Querida Gabrela

Poetar?

Como te posso ensinar?

Limito-me

Bjs sempre

mariam disse...

Poeta,

_______ sublime ________.

.sempre.


um sorriso :)
mariam

mdsol disse...

Liberdade bem cantada
:)))

Ana Paula Sena disse...

Muito bela imagem. Senti-a como passagem da imobilidade à acção, esta representada pelo soltar dos pássaros...

Um abraço :)

MARIA disse...

É lindíssimo, quer este, quer os poemas que o antecedem.
Imagens, metáforas, figuras de estilo de uma riqueza rara, impressionante.
Palavras com som de rio e de suspiro, entre outros ...
Pura e simplesmente extraordinário!

São disse...

Searas proibidas nunca as havrtá para quem escreve assim poesia...

Um excelente final de semana, Amigo!

Chris disse...

Um estranho ritmo cheio de encanto nas palavras, essa arte de soltar pássaros...
Um beijo
Chris

Barbara disse...

A voar...
Pássaros e corações.

Lena disse...

tua poesia é sempre bela...
tems aquela maneira, aquel estilo particular que sabe encantar até o fim.

optima semana !

Beijos

maré disse...

às vezes a casa tem sombras

que só as asas agitam.

às vezes as pétalas desaguam
em lençóis de azul entristecido

às vezes... não sabemos da tristeza das flores.

_______

um beijo Eufrázio

Virgínia do Carmo disse...

Invade-me uma espécie de nostalgia... talvez seja da intensidade desta paisagem maior, onde as palavras são montanhas muito mais altas...

Beijinho, a olhar para cima!

Demóstenes disse...

É sempre um cobertor para a alma voltar aqui.

Continue, para nosso deleite e regozijo, esta sua lavoura náutica.

Abraço e bom fim-de-semana.

Graça Pires disse...

Os cães soltaram os pássaros e o poeta soltou as palavras.
Um belíssimo poema, amigo.
Beijos.

Madalena S. disse...

Como já outras vezes disse, venho cá muito mas comento pouco. O que é que se comenta sobre a alma dos outros?
Contudo, às vezes, não se pode resistir, quando o que se lê é como este Soltar os Pássaros. Por isso aqui deixo esta nota, simples, apenas para dizer que os dias em que as palavras saem assim, deviam ser marcados a azul no calendário e decretados como feriados nacionais.
Um abraço e obrigada.

legivel disse...

... que voaram rente à janela onde ela desaguara marejando.

Em cada bico, levavam uma lágrima. Em cada lágrima, uma resposta muda de amor impossível.


Belo, o poema.

Graça disse...

Tão belo, que mais palavras estragariam...


Beijo

isabel mendes ferreira disse...

os seus pássaros são eternos....ma magia do pasto de uma imaginação onde os cães nos abrem a porta do tempo.


abraço amigo. sempre.

Mar Arável disse...

Isabel


Os meus pássaros são eternos?

Tenho que lhes dizer.

Abraço amigo
tambem para os seus

anamar disse...

Por hoje

só a minha saudação...

Abeleza, fica comigo..

beijo meu

Justine disse...

Incomentável. Incomensurável. A transbordar das palavras. O teu poema.

Sara L. Miranda disse...

Adorei o seu blogue e o texto!! Voltarei. Beijos

heretico disse...

os cães são senhores de uma sabedoria antiga. antecipam o voo dos pássaros.

... em boa medida a sabedoria dos poetas. que antecipam o tempo.

^("Cães como nós" - disse outro grande Poeta )

belíssimo, meu Amigo.

Licínia Quitério disse...

Esses teus cães prenunciam liberdade. Eles e os pássaros que povoam os teus poemas, como arautos de outros tempos. Muito belo.

gabriela rocha martins disse...

apenas para deixar um beijo em véspera de feriado e novo mês


.
.
.

dizem que vai haver natal ... dizem!

mundo azul disse...

__________________________________

Enquanto presos os pássaros, haverá sempre um choro sentido...


Lindíssimo o seu poema!

Beijos de luz e o meu carinho...

___________________________________

maria manuel disse...

e então os cães levantaram-se, voaram os pássaros, essas asas de liberdade... belo!

Arabica disse...

Por fim os conheço! :)

Merecedores de todos os horizontes guardados,
desaguam nos passaros,
na impossibilidade do vôo.

Gostei muito.