terça-feira, 24 de março de 2009

A CHEGAR E A PARTIR

Ana Luisa Kaminski

Estávamos rente

ao despertar dos cravos

fora da época

da poda das roseiros

e eu não sabia

que ias chegar

vestida de rosas


Entrámos no ar

que se respira

pela frincha das janelas


Povoámos a casa

de memórias e aromas


Reconhecemos à flor das pétalas

as nossas impressões digitais

e começámos de novo

a organizar a partida

29 comentários:

jrd disse...

Muito eu gostava que a metáfora fosse uma realidade.
Só que a rosa nem sequer consegue ser o cravo possível...

ลndreia disse...

É o novo recomeço! *

mdsol disse...

"...
e começamos de novo
a organizar a partida"

É mesmo. Uma exigência da vida!

Gosto de aqui vir!
:))

isabel victor disse...

"(...)e começámos de novo
a organizar a partida."


um belo princípio


Abraço (de mar)


iv

Maria Valadas disse...

Melodiosamente belo...
Em cada palavra senti o arrepio da alma... no recomeçar...

Beijos,

MV

Sônia Brandão disse...

É assim a vida, inconstante, cheia de chegadas e partidas.
Um belo poema. Parabéns.

maré disse...

eternos retornos

se as chegadas

são de perfumadas rosas

_____

um beijo ainda de perfume

mas de glicínias

Anónimo disse...

Lindo... lindo...lindo!!!...
do início ao fim.
Nele
inala-se
Serenidade...
Esperança...
Lembraça(s)...
(Re)começo...
De um Amor (des)continuado
Inacabado
Que respira o mesmo ar
Quer na chegada
Quer na partida
Nesta, naquela...
Em qualquer vida!

princesa

Licínia Quitério disse...

Chegar é iniciar a partida. Bonita forma de o dizer.

Teresa Durães disse...

partir assim que o espaço tem as nossas memórias

legivel disse...

... as impressões digitais que não se apagam da nossa memória, convocam-nos a despertar de novo em cada flor. Que o poema está-nos na massa do sonho, da utopia, até se tornar realidade. Um dia.

lino disse...

Em lugar de cravos vermelhos vamos ter de nos ficar pelas rosas desmaidas ou pelas laranjas azedas, pelo menos nos tempos mais próximos. É por isso que somos a pátria do fado.

Anónimo disse...

... é verdade! Estamos sempre a partir... à procura... e não há meios de lá chegar!.. e chegaremos, algum dia?!!

Abraço forte! - E.L.

isabel mendes ferreira disse...

e todas as partidas se jogam ao sabor de eventuais chegadas ou na presunção de que assim possa ser.

com pétalas de neve ou de sangue.

com pétalas suas que vai espalhando no chão destes dias.


Obrigada.

sempre o beijo.

isabel mendes ferreira disse...

excelente impressão digital. de carne!

Arabica disse...

No dia em que não partirmos, morremos.

Viver é chegar e partir, entre pétalas, espinhos e no tempo de olhar o jardim que nos urge.


Um beijo.

pin gente disse...

muito bonito... quando uma partida é feita a dois tudo é iluminado

beijo
luísa

gabriela rocha martins disse...

a vida não é isso mesmo?
um perene chegar e partir?

( com algumas estadas um pouco mais demoradas pelo meio )


.
um beijo

CNS disse...

A chegadas e partidas no tempo.

um abraço

Meg disse...

Pois é... tal e qual a Primavera.
Soubera eu escrever assim...

Um abraço

Justine disse...

E o teu poema é ponto de partida para muitos e labirínticos caminhos! Assim se mede a qualidade...

SILÊNCIO CULPADO disse...

A vida é um constante recomeço. E bem aventurados os que não desistem.


Abraço

Tchi disse...

Hino à Primavera... antes da poda das roseiras... com pétalas de amor a colorir e a aromatizar os dias.

Entra-se e sai-se.

Partidas quotidianas.

Horas de bem-querer. As tuas.

Abraço.

P.S.: Atenção à mudança de hora na madrugada de domingo. Adiantam-se sessenta minutos os ponteiros que nos obrigam a correr contra-o-tempo.

Paulo - Intemporal disse...

e é sempre neste regresso que a partida se inicia ao sabor das marés, vestida de rosas tantas por saborear.

um bom fim de semana.

um abraço meu.

Laura disse...

É bom chegar a este blog e partir, saciada de palavras.

heretico disse...

não há chegadas definitivas. nem partidas inesperadas...

sempre a surpresa. na (tua) palavra poética...

abraços

Analuka disse...

Fico feliz e me sinto honrada em encontrar uma pintura minha aqui em teu blog. Agradeço pela gentileza de publicares um de meus trabalhos no teu espaço, e assim partilhar cores, letras, sentidos, perfumes, asas, sabores com outras almas amantes da arte. Abraços alados!

Analuka disse...

Além disso, parabéns pelo belíssimo e delicado poema! Abraços pintados e alados.

Analuka disse...

Olá! Tomarei a liberdade de linkar o teu blog, lá no meu. Deixo mais abraços azuis!