segunda-feira, 15 de setembro de 2008

VAMOS CONSTRUIR UM BARCO?



Neste fim do nada

e palavras soltas

as águas em desmaio

invadiram a nossa praia

purgam-se nas areias


Sacudi-me dos pássaros

para te nomear

mas ainda hoje não sei

se és falésia

sombra em ascensão


Neste fim do nada

o equilibrio na assimetria

mesmo nas folhas caídas

anunciam neste chão

barcos indecifráveis

sempre a partir e a chegar

porque o mar

é o sangue das nossas veias


Neste fim do nada

precisamente onde do nada

nada se cria

os pássaros em demanda

da árvore anfíbia

não passam de partículas

a evaporarem-se nos teus olhos


Meu amor do fim do nada

vamos construir um barco?

21 comentários:

Maria disse...

Que se construam todos os barcos necessários...
... porque o mar corre-nos nas veias...

Um beijo

Justine disse...

Um barco é como uma ponte?Para saír do fim do nada?
Muito belo

Graça Pires disse...

"Sacudi-me dos pássaros
para te nomear"
Belíssimo poema. Um abraço.

Laura disse...

Gostei...

isabel mendes ferreira disse...

................que resista.


a tudo.


até ao furacão da vida.




________________!

maria josé quintela disse...

vamos sim.



de folhas caídas.

Isabel-F. disse...

é maravilhoso este teu poema.


adorei.


bjs

Teresa Durães disse...

o mar com o seu forte magnetismo

Caçadora de Emoções disse...

Muito belo este seu poema. Com um toque de nostalgia. A imagem, a preto e branco, também foi muito bem escolhida. Parabéns, Poeta!
Bom início de semana.

Beijos e abraços,

heretico disse...

que perdure. tão belo barco
abraços

antonio - o implume disse...

O mar é um naufrago que deu à costa.

Utopia das Palavras disse...

Nesse teu fim do nada
Os pássaros naufragam
E no fim da tua estrada
Farois de vento se apagam!

Para que tudo recomeçe de novo...

Um beijo
Ausenda

São disse...

...e que o barco sempre navegue em claras águas!
Um abraço.

Luís Galego disse...

esse amor.....só pode ter dito que sim....

um abraço pelas belas palavras escritas...

jrd disse...

Porque o fim desse nada, jamais será o fim do "Tudo".

Lena disse...

lindo poema...

constroi o barco
para ir
até o fim de tudo

beijinhos

Mateso disse...

O nada em todo de mar.
Belíssimo, aliás, como é habitual.
Bj.

gabriela rocha martins disse...

posso dar uma mãozinha?

os pregos e os martelos
são meus

.

BELÍSSIMO ,meu Amigo


.
um beijo

São disse...

Vim andar de barco novamente.
Bom fim de semana.

Entre "aspas" disse...

O mar uma mensidão infinita de sentimentos...
Bom Domingo
Bjs Zita

Orlando Gonçalves disse...

E o barco atracou no meu coração. Cheira a mar... lindo.