domingo, 27 de julho de 2008

PEDRAS SIBILINAS

Em que pedras vertebradas
guardam os meus olhos
os sítios da água?
Em que pedras côncovas
vivem os peixes livres
o teu corpo sem ameias?
Em que pedras rasgadas
a aresta fina em viagem
se inscreve na nossa pele?
Que pedras
as mais completas
servem para atirar às pedras?

Só podem ser
pedras sibilinas

9 comentários:

encena_dor disse...

Poema com sabor a pedras rolantes.

poesianopopular disse...

Exactamente! Tambem não vêjo outras!
Felicito-te, por esta pérola poética!

jrd disse...

O feitiço das pedras.

Ana Paula disse...

Pedras que se atiram às pedras...pedras sibilinas

Um certeiro poema! :)

São disse...

Só pedras sibilinas...e palavras, também.
Feliz semana.

samuel disse...

Por vezes tão duras como palavras.

Abraço

Anónimo disse...

Porque as pedras
nos transportam para o imaginário
também elas
são excelente tema
para um poeta
que
das suas ameias
constrói
um sem acabar
de castelos

princesa

Justine disse...

ah, se as pedras fossem transparentes!

Donagata disse...

Excelente. Que prazer em rolar estas pedras entre os lábios e lançá-las bem alto, com fervor.