quarta-feira, 26 de março de 2008

NO TRILHO DO VENTO




Queria que aprendesses
a navegar
o teu caminho
por aqui
neste chão de claridades
e outras brumas

te demorasses no cais
audível
em sinfonia de oboés
por sobre as margens
e as despojásses
de barcos ancorados

a brandir
alguns voos solidários
mesmo que fosses
nos interstícios tangíveis
o perfil da luz



Queria que fragmentasses as arestas
em ninhos organizados
revelasses os silêncios
nos torvelinhos deste mar


mandasses palavras às paredes
soletrásses
as nossas pétalas de sal
como se fossem cinzas
em chama viva
enleadas na paisagem


amanhecesses sem amos
no declive das marés
plena
de cardumes musicais


mas tu insistes
em ser a minha pátria


movimentas no trilho do vento
um coração de ave

25 comentários:

herético disse...

a tua "Pátria é a Lingua Portuguesa". "ressequida" por vezes. mas bela. sempre...

abraços. grato por esta emoção. teimosa.

Mateso disse...

Feliz a Pátria onde tais palavras feita oboés de espuma a banham de amor!.
Beijo

BIA disse...

Ah!!!...
Como quero seguir descalça...por esse caminho!

Aprender como as gaivotas, a deixar-me planar no vento e acalmar este coração de pássaro em sobressalto!

Libertar-me destas pesadas vestes e nadar, despida e sem pátria...

Deixar-me embalar por um mar de rasteira onda e da água lusa... sabes, daquela que em certas noites, deixa uma esteira de estrelas prateadas a cada mínimo movimento...

E já amanheço "no declive das marés, plena de cardumes musicais" e na vasta paleta de cores que me pautam na composição da vida...

Bem hajas!!!

Abraço-te no enrrolar da onda...@@@


BIA

Isabel-F. disse...

só posso repetir-me e dizer-te: o poema é belissimo


bjs

Claudia Sousa Dias disse...

não conhecia a sua poesia, mas gosto...

Mar Arável é também da rterra de uma grande amiga minha dos tempos da faculdade. A úncica que consegue resistir à erosão do tempo e ultrapassr os mais de 300 kilometros que nos separam...um afecto indestrutível como o diamante.

è assim que olho as gentes do seixal...


CSD

Clara Branco disse...

I'm speechless!
Lindo!

bettips disse...

Infelizmente, aqui temos mesmo "rio"...
Gosto do
"movimento no trilho do vento
do coração da ave"...
pátria gentil no espírito que vamos conservando! Apesar de.
Abç

Saramar disse...

Quando leio seus poemas, sinto-me pequena abelha.
A profundidade dos sentimentos, expressa em belíssimas imagens é arrebatadora.

beijos

alice disse...

fizeste-me pensar que das cinzas nasce algo, o que é bom e musical.

un dress disse...

por aqui:

aprenderei!!







beijO

gabriela r martins disse...

navegar é preciso

neste MAR
solto
às palavras

.
um beijo

Maria Laura disse...

Uma pátria rica de sentimento mas pobre de vontade e de realização.
O poema, excelente!

jrd disse...

Belo poema, onde, apesar de tudo,anuncias que a musicalidade da tua (nossa) Pátria, há-de soar nas arribas, trazida pelas marés.

Graça Pires disse...

mas tu insistes
em ser a minha pátria...
Um frágil coração de ave...
Belíssimo poema! Um abraço,

CNS disse...

Belas as tuas palavras de mar.Belas.

samuel disse...

"Mas tu insistes
em ser a minha pátria
movimentas no trilho do vento
um coraçºao de ave"

Bela pátria...

© Piedade Araújo Sol disse...

no trilho do vento e no trilho das palavras feitas poema....

São disse...

Admiro-te desde "A Outra Banda" de boa memória e continuo a admirar-te!!
Bom domingo.

comecardenovo disse...

Bom domingo e uma semana cheia de poesia

clo disse...

Bela, muito bela a sua poesia.
Clo

mnemosyne disse...

palavras que os olhos abraçam...

Um beijo

Licínia Quitério disse...

Ou nós insistimos em chamar-lhe pátria. Talvez porque a amamos.

Gi disse...

Arriscaria a dizer que é um dos mais belos poemas que aqui deixaste (desde que te leio, obviamente . Um beijo

isabel mendes ferreira disse...

belíssima...esta pátria.



.



.

beijo.

nana disse...

sim





..




(porque não sei mais palavras
para este sentir)