terça-feira, 4 de março de 2008

INOCENCIA




Quando os muros são de vidro

parecem transparentes

cresce a fala no teu corpo

são grandes os teus olhos

finíssimas as águas

de todas as tuas fontes



vivem encarnados os peixes

na tua boca

e correm por ti os gestos simples



cresce a fala

sabe a terra húmida

o teu corpo lavrado

e sussurram nas papoilas

a leveza das mãos



Assim se viaja

bebem orgasmos

para espanto

da inocência





18 comentários:

Maria disse...

Lindo.....
Soberbo!!!

beijo

gabriela r martins disse...

e assim se vão
construindo
otras inocências


.
um beijo

inominável disse...

eu acho que a inocência não se espanta com orgasmos... também vai tendo os seus, secretamente, diante de cada mar... e não são só sete...

Saramar disse...

Lindíssimo!
Fiquei sem palavras!

beijos

Anónimo disse...

Do entrelace
das suas metáforas
brotam
autênticas esculturas!

O seu estilo poético
embala,encanta,
move-nos...
...até ao sonho
de verdade!

princesa

Maria Laura disse...

Excelente poema! Com sabor, com a textura da terra e a beleza da inocência.

Jasmim disse...

Gostei do teu blogue.

herético disse...

a saber a terra húmida. e odores de corpo lavrado...

abraços

Maria P. disse...

Parece Primavera...

Beijinho*

un dress disse...

não sei bem o que significa inocência

mas seguramente por aí:

pela água...






beijO

bettips disse...

As tais transparências...
Ao pensar o amor. Em cadência poética.
Abrç

hfm disse...

Belíssimo! como uma viagem letras abaixo.

CNS disse...

Belíssimo.

Donagata disse...

Belíssimas palavras, mar arável. Como sempre fico presa nelas.
Bom fim de semana.
Um beijo

Carla disse...

coisas simples que se tornam tão belas com a força das tuas palavras

alice disse...

Boa tarde. Desculpe o comentário. Venho informar que o link do post do Piano ("de acordes especiais") tem um poema de Isabel Mendes Ferreira. Agradeço a sua leitura.

nana disse...

quando são de vidro

também os sussurros...



a transparência.


a inocência de ser.



e escrever.





..






lindíssimo..


lindíssimo.




x

mnemosyne disse...

... colhem-se versos vermelhos na grinalda do sol

Beijo