domingo, 25 de novembro de 2007

HUMANIDADE NÃO TEM SEXO


ana luisa kaminski








PELA IGUALDADE



ABAIXO A VIOLÊNCIA DE GÉNERO



A HUMANIDADE NÃO TEM SEXO




14 comentários:

Graça Pires disse...

Junto à tua a minha voz: Abaixo a violência de género!

jrd disse...

Abaixo os preconceitos e a homofobia!

Maria disse...

Estamos juntos, de mãos dadas, contra a violência de género, pela igualdade....

un dress disse...

pois não...mas tem tradições e "culturas" duvidosas,

e a força física ainda a impor-se. com se da selva se tratasse...




beijO

Alice Matos disse...

Estou contigo no Detalhes e no Pensamentos...


"Aqui fica a minha solidariedade para com todos aqueles que sofrem, no corpo ou na mente, da violência dos que se julgam muito fortes mas não passam de reles cobardes... "

Fica bem...

Vieira Calado disse...

Também postei, em todos meus blogs.
Cumprimentos

gabriela r martins disse...

TANTO
dito
em três frases

( bis )


um beijo

Isabel-F. disse...

sugestiva a imagem que usaste ...

tb aderi a esta iniciativa , claro ...


bjs

nana disse...

nao tem mesmo....

preconceito o dos que acham
ainda
que sim.



..

samuel disse...

Por vezes é mesmo apenas a cobardia típica dos que apenas são "fortes" contra os fisicamente mais fracos e/ou dependentes.
Daí também se dirigir contras as crianças e os velhos...
Mas é preciso falar disso e condenar publicamente, sempre!

hora tardia disse...

bravo!!!





___________

abraço.

Anónimo disse...

A Humanidade é assim mais imbecil, mas acho que tem sexo. Quanto á igualdade gosto mais de assumir a minha diferença e que ma respeitem assim eu respeite a dos outros. O que nos falta, penso, é tolerância.
Sorry
Sofia

São disse...

Vim agradecer a adesão à campanha que lancei contra a violência de género, que não se esgota na violência doméstica. Como é evidente!
Saudações!

Analuka disse...

Sim, sejamos leves e livres, alados, aladas, com nossas semelhanças e diferenças, com nossas afinações ou dissonâncias, sejamos delicados, delicadas o bastante para evitar qualquer tipo de violência ou preconceito. Abraço azul.