quinta-feira, 8 de novembro de 2007

CLARIDADES

gota-em-vermelho








Os objetos movem-se



nas paredes da casa



enquanto a luz vertebrada da vela



se consome em babas de cera





Porque somos frágeis como o cristal



e por vezes mais fortes que o seu brilho



nas cabeleiras deste lume



ardem palavras de sonho



mas não as suas claridades






26 comentários:

Maria disse...

Belo......
... como o cristal....

C Valente disse...

Belissima imagem, belo poema
saudações amigas

samuel disse...

Em cheio...

Maria P. disse...

Muito bonito, suave como a luz.

Mateso disse...

As sombras de nós na alma dos lugares.
Beijo

nana disse...

ardem cristais
mas não o seu brilho...

Graça Pires disse...

A nossa fragilidade. A nossa força. Um cristal a brilhar dentro dos sonhos.
Um abraço.

Bichodeconta disse...

passei para desejar um bom fim de semana, e deixar um abraço..

Letras de Babel disse...

frágeis como o cristal

e eis quando de súbito
ouvimos estilhaçar...

Gi disse...

Gosto dessa tua luz bruxuleante
onde se movem as sombras, os sonhos.
Onde alguns morrem e outros ganham vida. Gosto dessa luz. Bruxuleante, como a vida. Frágil mas brilha.

Um beijinho

(hoje também tenho muitas gotas parecidas com a tua)

un dress disse...

ardem

e entrementes

nos olham.

Entre linhas... disse...

Palavras de sonho frágeis como o cristal...mas frtes na sua aprarência.
Bom fim de semana
Bjs Zita

Anónimo disse...

Desta vez, o seu poema transmite-me:
Movimento....suave;
Luz.....que nos conforta e acalma;
Ambiente.....tranquilo e romântico;
Fragilidades...partilhadas... que nos reforçam por dentro;
Caminhada ....constante...persistente...real;
Gestos...Palavras...e Afectos em cenário real;
A imagem de quem o ama de verdade!

Anónimo disse...

" Porque somos frageis como o cristal
E por vezes mais fortes que o seu brilho..."
Adorei estas frazes...que dizem tudo sobre os seres humanos.
Bjs Andreia Matos

Licínia Quitério disse...

Caminho árduo o de perseguir a claridade das palavras. Também ele se faz caminhando.

Rui Caetano disse...

Imagem esplêndida. As palavras de uma sugestão estonteante. magníficas.
Somos frágeis como cristal, sem dúvida.

Mel de Carvalho,www.noitedemel.blogs.sapo.pt disse...

Li e reli. Um poema rico em imagens, em metáforas com sentido.

"nas cabeleiras deste lume
ardem palavras de sonho
mas não as suas claridades".

... tantas vezes assim é!
**
Um abraço
Mel de Carvalho

teresamaremar disse...

Queria poder, entre os versos, seleccionar alguns. Mas não consigo, pois todos são claridade, firme brilho, luz.

Uma boa semana.

herético disse...

a lucidez do cristal...

abraço, Poeta!

Donagata disse...

Bem vindo Mar Arável! E que bem vindo!
Também nós, sombras móveis de nós próprios, nos projectamos: nas fragilidades do cristal bem como na força suave do brilho bruxuleante da luz de uma vela.
Boa semana

Maçã de Junho disse...

não deixa de ser curioso como algo amorfo na sua essência se torna cristalino aos nossos olhos!


Abraço
Maçã de Junho

vermella disse...

A luz da vela pode transformar o que vemos,en sombras ou as veces en nítidas imaxes de cristal.
beijinho.

Fernanda Valente disse...

Muito bonito este poema que exalta o que de melhor há em nós.

Cumpts.

Aquarius disse...

não podia deixar de comentar este bonito poema...
a nossa força depende da companhia e apoio que nos dão, palavras de sonho k nos fazem sonhar...e k nem sempre correspondem a realidade...mas enquanto sonhamos somos felizes, pelo menos eu sou assim...
fica bem

Freyja disse...

somoa fragiles y somos fuertes, todo depende de lo que estemos viviendo
hermoso poema, te felicito
un abrazo y que estes muy bien
gracias por tus saludos y compañia
besitos


besos y sueños

blue disse...

obrigada, mar arável.