sexta-feira, 27 de abril de 2007

SOMOS MAREANTES DO VENTO






Crescemos na nudez das rochas



crescemos e desmaiamos

conforme as marés



Vertemo-nos líquidos

em caudais de sons

ardidos no sal

no delírio da espuma

por todo o corpo



Crescemos na substância das pedras

com asas muito leves



Não somos barco de carregar velas



somos mareantes do vento

4 comentários:

Maria disse...

"... somos mareantes do vento..."

.... e onda que se desfaz
em cada maré cheia
da nossa inquietação...

un dress disse...

da nudez das rochas limbos

salpicos de água e cola

no

coração rente à lama...


*

Menina_marota disse...

"...somos mareantes do vento"

gosto desta definição...

;)

Luís Galego disse...

crescemos e desmaiamos

conforme as marés


mas pelos vistos aprendemos pouco e relativizamos pouco...porque amanhã já esquecemos o desmaio e já estamos centrados e preocupados com outro assunto...