quarta-feira, 11 de março de 2020

AMPLAS CLARIDADES






A última folha do Inverno
em pleno voo 
cansada de todos os brilhos
libertou~se
quase etérea
num dédalo de luz

Ariadne desvendou os seus contornos
na inocência dos espelhos
celebrou por instantes
amplas claridades
e os barcos
para afagarem a sua nudez
se fizeram ao mar


eufrázio filipe
" Chão de marés  "



21 comentários:

Rosa Brava disse...

E no mar se cumpriu o seu desejo...

Boop disse...

Fazer-se ao mundo....
Melhor fazer-se ao mar!

(gostei muito da primeira foto)

Jaime Portela disse...

Belíssimo poema, gostei imenso.
Caro Eufrázio, continuação de boa semana.
Abraço.

José Carlos Sant Anna disse...

Neste palco imenso
suspiram leve

Abraços,

Canto da Boca disse...

A última folha do inverno, cheia de luz, a conduzir Ariadne pelos labirintos da liberdade, rumos aos barcos, na imensidão do mar!

Ailime disse...

Poema e imagens belíssimos.
É na claridade que se revelam todos os contornos.
Beijinhos,
Ailime

Maria João Brito de Sousa disse...

Primavera adentro, rumo a Abril...


Abraço

" R y k @ r d o " disse...

Poema de uma sedução e composição deslumbrante. Lindo de ler

Gostei muito do seu blogue, ficando seguidor

Votos de um feliz fim de semana

jrd disse...

Mais um poema belíssimo.

Grande abraço Poeta

mariam [Maria Martins] disse...

Tão lindo <3 Beijinhos

Marta Vinhais disse...

Encontramos na claridade o caminho para o Mar....
Lindo...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

AC disse...

E os barcos se fizeram ao mar, pois a vida, ainda que a tentem instável, tem que continuar.
Sempre em grande, meu caro Eufrázio.

Abraço

Maria Rodrigues disse...

Tocante e belo poema
Boa semana
Um abraço

Graça Pires disse...

Ariadne: a vida por um fio, com todos os contornos de uma nudez livre e clara. Os barcos que se fizeram ao mar levaram as palavras desnudadas do Poeta…
Belíssimo, meu Amigo.
Uma boa semana.
Um beijo.

Teresa Almeida disse...

A folha deslumbrou-se de claridade. Belíssimo!

beijos.

manuela barroso disse...

Contornos de luz também na beleza do poema !
Bji EF

© Piedade Araújo Sol disse...

a luz a encaminhar os barcos na imensidão do mar
e Ariadne em plena liberdade
e nudez afagada

muito belo

beijinhos

:)


Juvenal Nunes disse...

Na nudez de Ariadne encontramos o fio da questão. Navegar é preciso.
Saudações poéticas,
Juvenal Nunes

Jaime Portela disse...

Gostei de reler.
Um abraço e bom resto de semana.

redonda disse...

Ou ir vivendo um dia de cada vez com a esperança que a seguir iremos também conseguir lidar com o depois

Agostinho disse...

A poesia opera actos
De beleza
Seja no mar ou aqui

Abraço.