segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

É MANHÃ DE CANTAR







Onde se desnudam espelhos
asas passos e remos
se agiganta o rumor das águas

conquistas lentas
que movem gestos simples
e um arado

é manhã de  cantar
levar o corpo ao vento



eufrázio filipe

11 comentários:

jrd disse...

E o Poeta cantou. Amanheceu!...

Grande abraço

Ailime disse...

Um poema belíssimo.
É pela manhã que o canto das aves se agiganta.
Beijinhos,
Ailime

Sandra Louçano disse...

Dueto perfeito :)
Bejiinho

Elvira Carvalho disse...

E por aqui é manhã de ler boa poesia.
Abraço

© Piedade Araújo Sol disse...

é tempo de mudar
e voar no tempo
e sobre o mar

sempre!

:)

Teresa Durães disse...

levar o corpo ao vento e amá-lo por ser livre!

teresa dias disse...

"É manhã de cantar" e de encantar com versos belos!
Gostei, poeta!
Beijo.

Boop disse...

(Fiquei com frio ao olhar para a foto! ;) )

Que sejam muitas as manhãs de abrir o corpo ao vento!

Toninho disse...

Que leveza maravilhosa poeta.
Lindo poema inspirado em bela construção.
Abraços e bom fim de semana.

Jaime Portela disse...

Ditoso barco, que não se agita para que o corpo ao vento não caia em gestos de rápida derrota...
Excelente poema.
Caro Eufrázio, um bom fim de semana.
Abraço.

Agostinho disse...

Belíssimo tempo, este, de Poesia.

Lavado de preconceitos levar
o corpo ao vento é preceito
de iniciação e depois cantar
sem medo como louco
Os esbirros dos espelhos
nunca tiveram ouvidos

Abraço