terça-feira, 2 de abril de 2019

VERDADES IMPROVÁVEIS (2)





Na ausência de palavras
desenhei uma flor encarnada
neste chão de marés

soltei-lhe as pétalas

cadenciadas
silvestres
musicais

agarrei o vento pelas crinas
esculpi um grão de areia
para a vida despontar num sopro de vento
e a luz se libertar
pelas fissuras da pedra

convoquei pássaros
resgatei memórias
e outros silêncios

escrevi de novo
verdades improváveis

inesperadamente
hoje não quis salvar o mundo


eufrázio filipe

(Chão de claridades)

16 comentários:

Larissa Santos disse...

Muito bom :))

Hoje:- Quando há vida, na vida da gente. Felicidades meu bem.

Bjos
Votos de uma óptima tarde.

Impontual disse...

Salvar o mundo num escape de memória também mão é matéria fácil.

anamar disse...

Que maravilha .
Resumindo, deitas-te cedo e cedo
te levantas...
Dormiras numa cama de pétalas?
Abracinho

Janita disse...

Salvar o mundo é uma missão dura,
espinhosa e cansativa de tão infrutífera.
Há que dar-lhe tréguas,
deixar que a mente navegue,
- de quando em vez -
pelos mares do sonho
e das marés da utopia.

Bela, doce e musical, a sua poesia, Mar!

:) Beijo

Rogério G.V. Pereira disse...

Pronto
cubro
o teu
turno

salvar o mundo
não custa muito
leva é tempo
não podemos perde-lo

Agostinho disse...

Este chão está pejado de flores,
não fosse o Poeta um exímio domador de palavras!
Se as mostra escassas,
perdão,
castas, é porque são raras, improváveis, distintas.
O mundo não se salva
mas por cada um se salva.
Tenho a certeza que me salvei
pela improbabilidade do poema.
Ao lê-lo.

Abraço.

Lua Azul disse...

Faço minhas as palavras da Janita!
:-*

Kodak Khrome disse...

A beleza das palavras está na imponderabilidade das verdades
verdadeiro os pensamentos e as verdades enquanto improváveis

Ailime disse...

Um poema magnífico em que a poesia flui ao sabor de verdades improváveis!
Um beijinho.
Ailime

Gil António disse...

Será que é possível salvar o mundo?
.
Cumprimentos
.
** Solitária em Campo Florido ( Poetizando e Encantando ) **

Teresa Almeida disse...

Percebe-se que o mundo desperta no regaço da poesia.

Bj

saudade disse...

Verdades improváveis que deram um delicioso poema.
Boa semana

Graça Pires disse...

Podes não salvar o mundo mas desenhas flores vermelhas com palavras ou sem elas… Lindíssimo, meu Amigo.
Uma boa semana.
Um beijo.

manuela barroso disse...

Mas foram encontradas nestas palavras aqui, aquelas que fugiam.
E elas desenharam no sopro dos dedos, o quadro perfeito no bucolismo dos pássaros. E penso que o mundo dos sonhos foi salvo por esta pintura.Provavelmente.
Beijo, EF!

manuela baptista disse...

a origem do grão de areia,

improvavelmente, esculpido pelo vento

um abraço

© Piedade Araújo Sol disse...

nem todos os dias o Poeta salva o mundo

mas amanhã é outro dia

e o mundo não se salvará num só dia

gostei bastante!

beijinhos

:)