domingo, 12 de junho de 2016

BARCO DE REMAR





A remar águas e ventos
numa orgia de rotas
e salivas sem destino à vista
encontrei na margem
uma pedra
com vida por dentro
exilada no espelho do rio
a amanhecer

no ressoar das marés
juntei-me ao seu corpo
convergi na paisagem
subscrevi-lhe as pausas
os improvisos
e ali mesmo descontruímos
a recusa dos impossíveis

aprendemos que nada
é completamente inútil
muito menos a magia do tempo
que transportamos
portas abertas
janelas escancaradas
por onde inevitável
circula o pó
e tudo se move

até os velhos pássaros refulgentes
que libertámos dos lábios
em pleno voo (e)ternos
num barco de remar


Eufrázio Filipe
"CHÃO DE CLARIDADES"



16 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

...e tudo se move

Agostinho disse...

Assim se celebram heroicidades
nas páginas imaculadas
do poema - amor
Com remos sem rima
sem simetria de gestos
desde o cabelo até à unha
encarnada do hallux
Tudo é poema


Parabéns, Poeta.

Marta Vinhais disse...

Se pensarmos que não conseguimos, ficamos parados no tempo e o tempo escapa-se...
Improvisa-se, recomeça-se, mas isso é viver...
Livremente....
Lindo..
Beijos e abraços
Marta

Graça Pires disse...

"nada é completamente inútil
muito menos a magia do tempo"
Que o digam esses pássaros libertos dos lábios que reinventam o voo e amam as marés como só os barcos sabem...
Um beijo, meu Amigo.

ana disse...

Gostei do poema e da imagem escolhida.
Bj.:))

lis disse...

E a vida sempre nos oferece portas e janelas
há de se ver além...

Majo Dutra disse...

~ ~ ~
Muito belo Poeta, muito belo!
Beijo.
~~~
~

jrd disse...

Como amar uma pedra no leito do rio.

Abraço fraterno Poeta

Ana Tapadas disse...

Tudo se move e sempre moverá!

Beijo amigo

Ailime disse...

Nada é inútil na liberdade de amar.
Muito belo o poema.
Bjs
Ailime

heretico disse...

em "chão de claridades"...

uma pedra com vida dentro - assim os Poetas

abraço

© Piedade Araújo Sol disse...

tudo se move...até os remos do barco

muito belo, muito belo.

bom fim de semana.

:)

graça Alves disse...

Muito bonito
Viver é sempre construção :)
bom fim de semana

Olinda Melo disse...


Se não há impossíveis e as pedras têm vida poderemos então, com toda a propriedade, soltar pássaros dos lábios e fazê-los voar num canto à liberdade.

Um "Chão de Claridades" que nos ilumina o caminho.

Obrigada, Eufrázio Felipe.

Abraço

Olinda

manuela baptista disse...

eu diria, nesse barco de voar

Odete Ferreira disse...

Em tudo há um pulsar.
Captá-lo poeticamente e deste modo, só os eleitos!
Bjo, Filipe :)