sexta-feira, 25 de março de 2016

VERDADES IMPROVÁVEIS





Na ausência de palavras
desenhei uma flor encarnada
neste chão de marés

soltei-lhe as pétalas

cadenciadas
silvestres
musicais

agarrei o vento pelas crinas
esculpi um grão de areia
para a vida despontar
num sopro
e a luz se libertar
pelas fissuras da pedra

convoquei pássaros
resgatei memórias
e outros silêncios

escrevi de novo
verdades improváveis

Inesperadamente
hoje não quis salvar o mundo

Eufrázio Filipe
 

30 comentários:

Suzete Brainer disse...

A Poesia e quando bela (a tua)
abre uma janela para um mundo melhor (verdade provável)
e isso já é tanto, Poeta!...

graça Alves disse...

Muito bonito!
E a última estrofe é belíssima!
Grata pela poesia!

Rogerio G. V. Pereira disse...

Num tempo
em que os impossíveis
acontecem a todo o momento
aumenta a probabilidade
das tuas verdades improváveis

amanhã salvaremos o mundo
hoje não pudemos fazer tudo

Marta Vinhais disse...

Mas quando se resgata memórias e outros silêncios, é bem provável que o impossível se torne possível e se consiga salvar o Mundo...
Hoje, amanhã, mas inesperadamente num outro dia...
Boa Páscoa...
Beijos e abraços
Marta

Impontual disse...

Loas ao inesperado, sem deixar cair a expectativa.

Muito bom!

José María Souza Costa disse...

Olá, Mar Aravel

Te desejo uma Páscoa com Alegrias
Feliz tudo
Abraços

manuela baptista disse...

provavelmente, a flor dançou


um abraço

Luis Filipe Gomes disse...

Um digno repouso, um adiamento Pessoano.

MJ FALCÃO disse...

Uma boa Páscoa, que já não festejo. Aqui não há as amêndoas nem os folares da minha infância. E os meus filhos vivem longe. Agradeço a sua visita ao meu blog. Gostei destes seus versos. Muito.
"convoquei pássaros
resgatei memórias
e outros silêncios"~
Isso ao menos resta-nos ainda.
Boa noite!

lis disse...

Onde há uma 'flor encarnada' as palavras são pássaros.
um belo domingo de Páscoa Eufrázio

Janita disse...

A verdade é sempre relativa, mas nem sempre há necessidade de provar que aquilo em que acreditamos, é verdade!
Ainda que se convoquem pássaros e se resgatem memórias,
cai o silêncio;súbita e inesperadamente...

Belo pensamento, Poeta!

Beijos.

heretico disse...

verdades improváveis de pétalas e pedra!
antes os ventos e as crinas soltas.

abraço, Poeta

Agostinho disse...

Todas as verdades improvaveis
Nascem nas palavras dadas.
Abraço.

Cadinho RoCo disse...

Tem dia que, por si só, toda salvação se mostra suspensa.
Cadinho RoCo

Lune Fragmentos da noite com flores disse...

Dos acontecimentos improváveis às verdades improváveis, acontecem pedaços de afectos, envoltos em silêncios(s).

As janelas rasgam-se.

Votos de tranquila passagem de Páscoa.
Abraço,

Lune Fragmentos da noite com flores disse...

Os teus versos revestidos de um sentir profundo entre o improvável que acontece.

Agradeço e retribuo votos de Feliz Páscoa num simbolismo de passagem.

MARILENE disse...

Seu ritual ficou belíssimo. Estamos sempre a torcer que a luz encontre frestas nas pedras, iluminando mentes. Abraço.

Miss Smile disse...

Somos mapas circulares...
Mais um momento lindíssimo!

Graça Pires disse...

Cúmplices destes tempos, sabemos que só a solidariedade pode salvar o mundo. Mas quantos se interessam?
Um belo poema, este. Desculpa comentar ao lado...
Um beijo, meu amigo.

Andrea Liette disse...

Venho agradecer o milagre vivo
dos poemas falados.

Uma brisa em meu coração.

Abraço.

rosa-branca disse...

Talvez amanhã...ou noutro dia consigamos salvar o mundo. Um abraço com carinho

Salete disse...

Vc é genial e sua poesia é linda.

Beijo.

Ailime disse...

«agarrei o vento pelas crinas
esculpi um grão de areia
para a vida despontar
num sopro
e a luz se libertar
pelas fissuras da pedra»
Lindo e profundo!
Bjs

Lucy Mara Mansanaris disse...

Há dias em que o descanso é merecido,
e a poesia acontece, lindamente!

lupuscanissignatus disse...

pedras que são faróis

Ana Tapadas disse...

Com as coisas improváveis a acontecerem...urge soltar esses pássaros!

Muito belo este poema!

Beijo

jrd disse...

Mesmo que digas que não e que eu tenha estado ausente deste mar, sei bem que o mundo será salvo por poetas como tu.

Abraço fraterno

© Piedade Araújo Sol disse...

todas as verdades
se soltaram

apenas o mundo
não quis ser salvo

hoje só hoje...

:)

Odete Ferreira disse...

Não se salva o mundo mas intefere-se sempre, quando as palavras fazem eco. É nesta crença que não se ousa silenciar as palavras de dentro.
E tu és de crenças!
Bjo amigo :)

MJ FALCÃO disse...

Bom domingo! Também me aconteceu o mesmo:
"Inesperadamente
hoje não quis salvar o mundo..."