domingo, 6 de dezembro de 2015

DESENHO NOS ESPELHOS





Efémeras pétalas
dão acesso
à escarpa
erguida dos escombros

passo a passo
pelos caminhos do vento
recolho-as quando desenho
nos espelhos

pátrias amovíveis
barcos alados
que se perfilam
para hastear a mais bela
desordem
de cores no jardim

efémeras pétalas
os teus olhos remoçados
despontam à flor das águas


eufrázio filipe
 

24 comentários:

deep disse...

As palavras, belas, são uma forma de garantir que as pétalas não são efémeras. :)

Rogerio G. V. Pereira disse...

desenhando
em versos
a mais bela
desordem

Marta Vinhais disse...

E nessa desordem surge um poema cheio de cor e imagens...
Gostei imenso...
Beijos e abraços
Marta

Miss Smile disse...

Um poema suave e belo como o toque de uma pétala :)

Graça Pires disse...

Desenhar no espelho toda a cumplicidade do poema.
Muito belo, Poeta, meu amigo.
Um beijo.

Olinda Melo disse...


Uma escarpa que se renova a cada passo, num relance, num olhar de olhos remoçados. E a viagem continua, em barcos alados ou num bater de asas.

Abraço
Olinda

Silenciosamente ouvindo... disse...

O amigo desenha palavras muito bem em qualquer sítio.
A sua poesia diz sempre muito.
Abraço amigo e Boas Festas.
Irene Alves

tb disse...

e a esperança renasce!...
Um beijo.

Majo disse...

~~~
~~ Compondo e descompondo,

o poema surgiu ternamente lírico

~~~~ e deliciosamente belo!

~~~~ Beijo, Poeta e Amigo.
~ ~ ~ ~ ~ ~ ~

Cris Bo disse...

Un año más… mis mejores deseos para este nuevo año que pronto comienza.

“El objeto más hermoso que he visto en mi vida en una fotografía, es el planeta Tierra visto desde la Luna, colocado ahí desde el espacio, evidentemente vivo. Aunque a primera vista parece estar compuesto de innumerables especies separadas de seres vivos, un examen más minucioso muestra que cada una de sus partes, incluyéndonos a nosotros, es independiente de todas las demás partes. Por decirlo de alguna manera, éste es el único ecosistema cerrado que conocemos. Dicho de otra manera, es un organismo. Su vida empezó, digamos, hace 3800 millones de años, y me gustaría desearle un feliz cumpleaños y una larga vida, por nuestros hijos y los hijos de nuestros hijos, y los hijos de los hijos y así sucesivamente…”

Lewis Thomas- 1984

Feliz 2016!


Lídia Borges disse...


A diversidade na forma e na cor das flores é que torna belo o jardim. E o poema!

Um beijo

Lídia

heretico disse...

encantatório teu poema, meu caro Poeta

caleidoscópio de belíssimas imagens
que se fazem e refazem em colorido efeito.

forte abraço, meu amigo

Janita disse...

Uma delícia de poemas: o das pedras beijadas e o da improvável vigília.
Este final desenhar nos espelhos, é especial, por tudo o que me disse de diferente, deixando ao sabor da imaginação a alternativa às pétalas/palavras, espelhando divagações recolhidas ao vento!

Um beijo especial, por isso!

Janita

Sónia M. disse...

O jardim precisa da desordem das cores

para voltar a ser belo..,

Muito belo.
Beijo

Agostinho disse...

A ordem em desordem
Nos espelhos
as flores de versos
as pétalas de palavras
as cores que interessam
aos olhos reflexos:
o jardim do poeta.


Abraço

Jaime Portela disse...

No poema, as pétalas são eternas (ou quase...).
Excelente, como sempre.
Caro Eufrázio, tem um bom fim de semana.
Abraço.

anamar disse...

Estou com falta de teclas

Tenho que inventar as "mots"

Breve, breve , voltarei à normalidade dos dias

Gostarei da dita normalidade?

Das teclas sei que gosto Fazem falta como as notas musicais

Fica com o que tenho

Beijo e bom fim de semana

© Piedade Araújo Sol disse...

no espelho
o caos
deitada
em perfeita harmonia

e o perfume das pétalas
rubras
em alerta

:)

Sou o que sou disse...

Lindo demais...
Nesses dias, encontrar autores tão autênticos, é um prêmio.
Obrigada pelo acesso.

Sandra Louçano disse...

Nuca tenho palavras perante a beleza ímpar.
Belíssimo.

Almma disse...

O espelho, a poesia...

filomenafonseca disse...

Enquanto existirem flores e plantas,é um bom sinal,é sinal de que temos uma vida a preencher,o problema é quando se fazem incêndios,isso sim,é um verdadeiro castigo!! http://cenasemaiscenas29.blogspot.pt

Odete Ferreira disse...

Desenhar nos espelhos, talvez seja possível a muitos. Desenhar nos espelhos a tua poética, há pouco quem, sobretudo os olhos...
Bjo, Mar :)

frô disse...

Belas imagens no espelho de nossos olhos..