quinta-feira, 14 de maio de 2015

MAREANTES DO VENTO





Crescemos na nudez das rochas

crescemos e desmaiamos
conforme as marés

Vertemo-nos líquidos
em caudais de sons
ardidos no sal
no delírio da espuma
por todo o corpo

Crescemos na substância das pedras
com asas muito leves

Não somos barco de carregar velas
somos mareantes do vento


Eufrázio Filipe
 

31 comentários:

Tétisq disse...

e é difícil ter mão no leme...

jrd disse...

Temos o sal na pele e levamos o vento nas gáveas da viagem.

Um abraço meu irmão poeta

GL disse...

Somos parte, nada nos poderá parar.

Cristina Cebola disse...

É uma delicia ler os seus poemas...
Profundos e enigmáticos sempre.

Abraço Poeta

Rogerio G. V. Pereira disse...

da leveza das asas
da substância das pedras

o que mais prezas
ser mareante do vento

Ah, meu Poeta
como eu te entendo!

ana disse...

Muito bonito.:))
Boa noite.

Mateso disse...

Liquefeitos rolamos lentos mar a dentro.
Lindo.

Menina Marota disse...

E o vento que nos traz marés de sal... e as lágrimas de quem espera na margem.

Bom dia!

© Piedade Araújo Sol disse...

não somos barcos de carregar velas

somos pássaros com asas doridas

e voos planos

bom final de semana.

beijo

:)

lino disse...

Hoje tem estado um belo dia para sermos mareantes do vento!
Abraço

heretico disse...

lírico, leve, perfumado poema...

como se fosse brisa marítima. ardendo...

abraço, Poeta.

Almma disse...

Somos palavras, somos asas...
Sempre um prazer te ler.

Carmem Grinheiro disse...

"Crescemos na substância das pedras" e não precisamos de velas - enfrentamos o vento como marinheiros audazes.

abç amg

Lucy Mara Mansanaris disse...

Boa noite Poeta.
Chego a sentir vergonha das minhas letras quando o leio, lindo demais, parabéns!
Abraço cordial.

CÉU disse...

Aqui, há sempre mar revolto, e eu k não gosto de mar, nem derivados, "não" entendo o meu regresso, sempre.

Fique bem!

Majo disse...

~~~
~ De asas leves, pairando...

Eu, amante
~~ do vento,
~~~ das marés,
~~~~ das rochas,
~~~~~~~~da espuma,
~~~~~~~~~ de barcos,
~~~~~~~~~~ de escarpas,
~~~~~~~~~~~~ de pássaros...

~ considero este poema belíssimo! ~
~~~~ Beijo, Poeta. ~~~~~~~~~~~~~
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Ailime disse...

Lindo!
Somos como barcos à deriva!
Bjs
Ailime

S. disse...

É bom se deixar ao sabor dos ventos.
Como sempre belíssimo.

Bjs.

Licínia Quitério disse...

Mareante de água e vento.

Lídia Borges disse...


"Mareantes do vento", carregadores de sonhos nas ondas do improvável.

Bj.

Lídia

Janita disse...

Mareantes e mareados. Corpos salgados, de tanto lutar contra ventos, marés e vagas de espuma.

Um abraço, Poeta dos pássaros e das rochas nuas.

PS. Se o comentário for repetido, por favor, apague o que estiver pior!
Desta vez não copiei para de seguida colar, e ele fugiu, deixando-me frente ao perfil de uma sua comentadora. Ao sair, perdi tudo o que escrevi.

Elvira Carvalho disse...

E o vento não nos leva nunca a bom porto. E cada dia andamos mais perdidos e sem forças.
Um abraço e bom Domingo

deep disse...

Crescemos - também - na e para a poesia.

Belo.

Bom domingo. Bj

Magia da Inês disse...

♬♪ه° ·.

Apenas o sussurro... apenas as ondas vindas de tão longe!...

Boa semana!
Beijinhos.

╰╮✿
✿✿ه° ·.

GarçaReal disse...


Por vezes caminhamos ao sabor do vento

Bjgrande do Lago

Graça Pires disse...

"Não somos barco de carregar velas
somos mareantes do vento"... Tão belo!
Beijo, meu amigo.

Teresa Durães disse...

lindíssimo!

Rita Freitas disse...

Sim, conforme as marés.
Gostei destas palavras, deste poema.

Boa semana.

manuela baptista disse...

somos leitores

que quando gostamos, calamo-nos para marear o vento

Agostinho disse...

Açoitados pelas vagas
desfalecem e resistem
à espera que numa maré
o rendilhado emirja
da espuma fecunda.

EU disse...

Oxalá pudéssemos ser, efetivamente, "mareantes do vento".
Infelizmente há ventos que sopram ao contrário.
Mais um belo poema saído da tua "asa"...
Bjo, Filipe :)