segunda-feira, 28 de abril de 2014

NA LINGUAGEM DOS ESPELHOS







Silvestre a lamber o leito
por onde corre
num acorde de timbres
sereníssimo o rio
atravessou
passo a passo
a sombra das pontes

desaguou sem amos
no chão das marés

barco desgrenhado
quase perfeito
a lapidar as águas

Passo a passo
demorou-se por um fio
a subir às gáveas
precipitou-se
do último verso
do seu poema

mas resiste
olhos abertos
na linguagem dos espelhos

 

25 comentários:

Sónia M. disse...

E ainda bem que resiste...

Belo!
Deixo um beijo

Janita disse...

Tudo isso que o Silvestre faz de livre e espontânea vontade, será aquilo a que se dá o nome: Liberdade?

Um beijo!
:)

lis disse...

E a cada brisa balançam e 'precipitam-se'...
resistir _ quem há de?

O tempo das maçãs disse...

Que bonito isso...

mas resiste
olhos abertos
na linguagem dos espelhos


Beijinho.

lino disse...

Resistamos como o rio!
Abraço

Ailime disse...

Belíssimo! "Desmoronou-se por um fio"..., "mas resiste..."!
Eis a questão! Bj Ailime

Majo disse...

~
~ Correu, no seu leito, sereno, indiferente à sombra das pontes e alcançou a tranquilidade dos espelhos de água...

~ ~ Resiste...

~ ~ ~ Gosto...

Olinda Melo disse...


E 'desaguou sem amos'. Excelente imagem.

Abraço

Olinda

heretico disse...

no chão da marés - onde tudo irrompe...

abraço. meu caro Poeta.

Suzete Brainer disse...

"Na linguagem dos espelhos"

Os olhos captaram

o grito(eco)da continuidade:

seguir sempre...

Poema grandioso!!

Bjs.

jrd disse...

A linguagem dos espelhos é o reflexo do teu mar, Poeta.

Abraço

Lilá(s) disse...

È bom que resista!
Bjs

Laços e Rendas de Nós disse...


Resistirá.

Beijinho

Cristina Cebola disse...

Os espelhos dizem sempre a verdade!
Abraço Poeta!

Agostinho disse...

O poeta a ver-se ao espelho partilha reflexos que o olhar pressente.

irene alves disse...

Resistir mesmo quando parece
nada valer a pena...
Resistir como o amigo faz, também
através da sua poesia.
Bom 1º. de Maio.
Bj
Irene Alves

manuela baptista disse...

quase perfeito

marlene edir severino disse...

"Resistir, quem há de?"
Perfeito!
Abraço carinhoso, poeta!

EU disse...

A minha cidade (Mirandela) é atravessada por um rio, com a velha ponte românica de olhais expressivos e outras menos românticas. Escrevo, frequentemente, tendo o espelho/rio como cenário. Não é a minha fonte de inspiração mas é inspirador. Corre livre, indiferente a regras, a amos, alcançando o objetivo da sua natureza: acolher seus parentes e, em comunhão, abraçar o mar, ainda que tenha havido intervenção humana no desenho do seu percurso...
Gostei imenso da simbologia presente no poema e da estrutura original. Parabéns.
Bjo, Mar

Armando Sena disse...

Tropeçou em letras mas acordou num poema.
Fantástico texto, pura diversão literária.

Magia da Inês disse...

°º。✿✿° ·.
Imagem poética muito lírica... parabéns!

Ótimo mês de maio, com muitas alegrias.

Bom fim de semana!
Beijinhos.

°✿⊱º°。♪

Graça Pires disse...

No chão das marés, ou na linguagem dos espelhos é que nascem poemas assim.
Beijo.

maceta disse...

um poema, assim os sinto, são como os quadros- cada um os interpreta como os sente...

abraço

Teresa Poças disse...

Belíssimo poema! Uma pintura!

Dos amores disse...

Linda foto e flor.

Luanda.
dosamoresmeus.blogspot.com