quarta-feira, 12 de março de 2014

A MINHA JANELA








Subi todos os degraus
do teu olhar
só para te ver
na escarpa

enquanto subia
o teu olhar derramava-se
no meu chão

quando cheguei
ao mastro mais alto
onde só o vento
e algumas aves se atrevem
descobri um secreto rumor
a maresias

na verdade o teu olhar
rasgado por sobre o rio
era a minha janela

desmoronados os acessos
por lá ficámos a respirar
o silvo dos barcos

e as sombras


 

26 comentários:

jrd disse...

O Amor é uma fusão e o olhar é a prova.

© Piedade Araújo Sol disse...

por vezes janelas são

o olhar

:)

Lídia Borges disse...


Da sublimação do "ver".


Um beijo

Sónia M. disse...

Respirar as sombras
é adivinhar a luz.

Belíssimo!
Deixo um beijo.

marlene edir severino disse...

Respirar

Precisa mais?

Abraço, poeta!

lino disse...

Admiremos o rio e respiremos enquanto isso não paga imposto!
Abraço

GL disse...

Enquanto houver uma janela...

Laços e Rendas de Nós disse...


Ver o que só é visível a partir de "a minha janela"

Beijinho

EU disse...

Na verdade, o olhar/amar tudo pode. E as janelas abrem sobre o infinito...
Poema muito rico literariamente.
Bjo "Mar Arável" :)

trepadeira disse...

Gosto de ir onde, "só algumas aves se atrevem".

Abraço,

mário

Fê blue bird disse...

Uma subida para a LUZ!

beijinho

Rita Freitas disse...

Linda esta janela!

Abraç

Teresa Durães disse...

Gosto desse mastro, alto alto mais perto do céu onde não há muros!

Suzete Brainer disse...

Uma janela inspiradora,

cujo o olhar do poeta

reflete o olhar da musa,

num sentir que eterniza...

Belíssimo!!!

Bj.

Lilá(s) disse...

Há janelas assim, inspiradoras...
Bjs

Janita disse...

Bela essa janela virada para o rio e não para o mar.
E as escarpas? De onde vinha o rumor misterioso e o sabor a maresia? Dos olhos dela?

Gostaria de, um dia, ser uma janela!

Um beijo!

Olinda Melo disse...


Uma janela firmada na magia da escarpa.

Abraço

O Profeta disse...

Cem anos de bruma nos olhos
Venham devagar ver, ouvir o poeta
No suor do sonho, ouço vozes num cântico azul
Garça, gaivota, pássaro voando a sul

Luminoso fim de semana

Terno abraço

Rosa dos Ventos disse...

Há olhares que são varandas! :)

Abraço

Branca disse...

Que lindoooooooo!

Tão bem traduzido em verso o que muitas vezes é indizível, mas os poetas descobrem um cantar único nas palavras...

Beijos

Maria Luisa Adães disse...

Quantas vezes o nosso olhar divaga

Através dos olhar do Outro!

Graças por o encontrar!

Maria luísa

heretico disse...

ascese do rumor - até ao pináculo das maresias...

abraço, meu caro Poeta.

Ailime disse...

Belíssimo poema! A luz votará a rasgar as sombras e a iluminar os olhares. Bj Ailime

Pearl disse...

Se existem as sombras é porque existem os corpos...


:)

Lune Fragmentos da noite com flores disse...

E que belo olhar !

Beijos

Teresa Almeida disse...

Neste olhar desejamos subir a escarpa poética.
Beijo.