quarta-feira, 13 de junho de 2012

CONTRA O VENTO QUE FAZ





A minha escarpa tem um postigo
com vistas para o mar

araucárias desgrenhadas
salivas e trovas silvestres
em desmaio nas areias

A minha escarpa tem um postigo
donde não se veem os céus

miríade de sentidos
mais longe o olhar errante
se torna flor e tempestade

Quando sopro estas pétalas
amados os rumores da água
desponto neste chão

pego-te ao colo
beijo-te os olhos
contra o vento que faz




33 comentários:

Dilmar Gomes disse...

Eis a poesia no sentido literal da palavra. Um abraço.

jrd disse...

Que nunca feches esse postigo onde assoma a poesia.
Abraço

Rúbida Rosa disse...

Lembranças e saudades... Quisera eu uma vista dessas para o mar...
Abraços de Pétalas.

elvira carvalho disse...

Gosto da ideia de uma janela na escarpa...
Um abraço

trepadeira disse...

"A minha escarpa tem um postigo donde não se veem os céus",só aponta o caminho do futuro.

Um abraço,
mário

je suis...noir disse...

GOSTO e p(r)onto.

Pata Negra disse...

se não se vêem os céus, não se vê metade do que é a tempestade.
um abraço ao sabor do vento

Rogério Pereira disse...

Noutra escarpa
Ao meu postigo
Estou lendo
um poema
contra o vento...

E me revolvo, inquieto

www.amsk.org.br disse...

E se beija os olhos
E se proteje no colo,

não há vento contra,
apenas uma breve festa da brisa.

bjs nossos

Sónia M. disse...

Lindo...!!!

Flor de Jasmim disse...

Um postigo com vista para o mar que inspira o poeta sonhador de esperança que ele venha a ver os céus.

Beijinho e uma flor

Licínia Quitério disse...

É o teu caminho: ir contra o vento, beijar as luzes e as águas.

mundo da lua disse...

com seu tom sempre lindo
vejo o mar nas tuas palavras.

Rita Freitas disse...

A minha escarpa tem um postigo com vista para este poema, miríade de sentidos :)

bjs

Nilson Barcelli disse...

Mesmo contra o vento, um beijo é sempre um beijo.
Mais um magnífico poema. Gostei imenso.
Abraço.

Sonhadora disse...

Poeta

Que desse postigo contemples o céu imenso e ao sabor do vento a poesia se faça.

Um beijinho
Sonhadora

Ricardo Miñana disse...

Hermoso poema Mar, un placer pasar por tu espacio.
feliz fin de semana.
un abrazo.

Lídia Borges disse...

Uma paisagem só visível ao toque, ao tacto. Um colo, um beijo de água, "contra o vento que faz"

Lídia

ana disse...

Mar Arável,

Muito bonito este beijo.
Parabéns!
Beijinho.:)

Sônia Brandão disse...

Que importa o vento?

abs

mfc disse...

Essa tua janelinha é uma pequena maravilha!
Mantem-na sempre aberta!

lino disse...

Uma bela escarpa!
Abraço

© Piedade Araújo Sol disse...

mesmo ao vento um beijo é sempre um beijo.

um beijo

Fernanda disse...

E assim nos levas na brisa para os recônditos da imensa ternura dos teus sublimes versos.

Anónimo disse...

Simplesmente belo!

Os 1.ºs dois versos transportam-nos para qualquer lugar
para qualquer situação
para qualquer interioridade...

Os seguintes, "idem"
(...)postigo(...)
(...)céus(...)mar(...)
(...)flor (...)tempestade(...)
(...)pétalas(...)

Os três últimos transportam-nos
para os afectos
que cada Ser merece
mas só alguns têm a sorte
de os receber

Parabéns Eufrázio!

...continuas a ser um incentivo
para que me desloque
no tempo e no espaço
para lá do "postigo"
de onde não se vê o indizível

princesa

Silenciosamente ouvindo... disse...

Como sempre uma poesia excelente.
pego-te ao colo
beijo-te os olhos
contra o vento que faz.
Irene

intimidades disse...

lindo

Bjinhos

Paula

R. disse...

Tão belas e delicadas estas palavras, inspiradores de resistência e inconformismo. Precisamos delas. Sem dúvida.

Sara disse...

Um colo e um beijo são sempre conforto e protecção contra ventanias.
Obrigada por estes versos, um conforto à sua maneira.
Um abraço.

heretico disse...

contra o vento. como as velas. e o corpo do desejo...

abraço, meu caro Poeta.

VÉU DE MAYA disse...

Na tua escarpa há ventos puros e beijos de ternura. belo.

Abraço,

Véu de Maya

Maria João disse...

A rasgar ventos e mares se beijam outras paisagens.

Um abraço

BRANCAMAR disse...

Estava convencida de já ter passado por aqui. As minhas ausências são agora mais frequentes, mas não posso deixar de trazer a minha marca àqueles sítios que foram sempre para mim um símbolo de qualidade e por isso de tão boa companhia quanto um bom livro ou um bom amigo. Raramente na blogosfera isso acontece e este poema é sem dúvida "...um postigo com vistas para o mar" e para o mundo...

Beijos
Branca