quinta-feira, 30 de abril de 2009

MAIO

publicado no blogue e no "Que fizeste das nossas flores"


Hoje um poeta morreu
no trabalho
a construir poemas

João Corinto servente
não sabia palavras
só tijolos e cimento

Um pé fora do andaime
o chão não era de cravos
e as aves
bateram asas

Hoje um poeta morreu
no trabalho

Projectou-se do oitavo verso
do seu poema



35 comentários:

Maria disse...

Fortíssimo!
Façamos de Maio Abril de novo!

Beijo

maré disse...

e tantos são os poetas

que morrem
no sangue caído dos cravos
nas asas mutiladas do poema

-----

e mais um beijo

Anónimo disse...

... um HOMEM!..
... um operário!..
... um poeta...

um dos nossos que morreu...para que continuemos a ...LUTA!!!

Ab.- EL. -

isabel victor disse...

"Projectou-se do oitavo verso
do seu poema"


(bela imagem)




um beijo



iv

Arabica disse...

E tantos são os Poetas que nos morrem.

Que nos fogem dos dedos e das forças.

Num Maio irreverente a acordar o Tempo,

o meu abraço.

Marta disse...

levo -o comigo. ao poema.
gostei íssimo. tanto. tudo.

hfm disse...

Da consistência.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Mar Arável


Excelente!...
Morreu alguém que não tinha nome só um número. Trabalhava para as estatísticas e para a construção.

Por todos os que como esse operário trabalham e só têm correntes e morte VIVA O 1º.DE MAIO!
Abraço

legivel disse...

... construir poemas com as palavras certas no sítio certo pode ser uma profissão de alto risco nos tempos que correm. Mas se não se porfiar, nunca mais teremos novamente o chão atapetado de cravos nem as gaivotas nos mastros dos cacilheiros com sorrisos ao canto dos bico.

Paulo - Intemporal disse...

Maio, o primeiro dia, o dia um, um dia, este.

Celebra-SE aquele que tem algo a fazer, ou que há tanto faz [...]

Maio também de Maria, de re.conciliação.

Maio de colher, a semente.

íssimo _______________________________ .

Ad astra disse...

Maio, maduro Maio...

São disse...

Muito bom post para esta data.


VIVA O 1º de MAIO!!

Bom fim de semana prolongado.

as velas ardem ate ao fim disse...

Bom 1º de Maio!

Viva a liberdade

bjo

isabel mendes ferreira disse...

Por um Maio sempre vermelho. de luta consistente e um grito uno.


abraço sempre.

e a Alameda estava linda.



.piano.

Sofá Amarelo disse...

O 1.º de Maio de hoje foi também uma homenagem para este e outros poetas...

Um abraço!!!

PreDatado disse...

Estilo e conteúdo do mais fino recorte.

(Infelizmente morrem demais no posto de trabalho)

tulipa disse...

Há uma outra data para comemorar: o meu "Momentos Perfeitos" faz 1 ano.
Convido-te a vires brindar comigo!

Bom fim de semana prolongado.

ESPREITA...e vê se conheces o restaurante onde estou à espera de todos vós, para fazermos um brinde!

Donagata disse...

Muito bonito. palavras excelentes para que nunca esqueçamos este dia, mesmo quando o nosso trabalho pode dar voz à voz do trabalhador.
beijos.

Vieira Calado disse...

Bem elaborado este poema!

No dia certo.

Cumprimentos meus.

jrd disse...

Foi o dia em que também a poesia morreu um pouco.

Maria P. disse...

Soberbo.

Viva o Maio.

utopia das palavras disse...

Quantas aves mais baterão as asas, para que se dignifique o Homem!

Beijos

pin gente disse...

a poesia desabafa nas mãos os gritos do coração.
muito tocante, eufrázio.

há muito que aqui não vinha... e vale tanto a pena fazê-lo!
parabéns!

um abraço
luísa

Menina do Rio disse...

Desculpe a minha ausência mas tive que trabalhar dobrado estes dias de abril, pois precisava pagar o registro e a capa do meu livro. Era uma oportunidade que eu não podia deixar passar. Agora vou retornando as visitas aos poucos, mas hoje tinha que vir aqui ao menos pra deixar-te um beijo.
Tem um ótimo domingo!
Verô

Adriana disse...

o trabalho e o poema, os dois surpreendem...

José Carlos Brandão disse...

Voltando de viagem, passo por aqui para lhe deixar o meu abraço amigo.
Gostei do seu poema do dia do trabalho. O poeta é mesmo um operário como outro qualquer: ergue com a argamassa do seu sangue juntando os tijolos das palavras o edifício do poema. Não é à toa que o poema dói.

maria josé quintela disse...

quando as metáforas são a própria vida.



muito belo.



um beijo.

PiresF disse...

E João, que também era Corinto, não era o filho de Júpiter a maior divindade do Olimpo, as suas palavras eram o tijolo e o cimento, mas antes fossem de, como as do poeta que aqui o recorda.

Forte abraço, meu amigo, nesta continuação do dia primeiro.

Paulo - Intemporal disse...

F
e
l
i
z

d_____i_____a

d
a

M__________Ã__________E

hoje e sempre.

íssimo.

mdsol disse...

Tenho espreitado a correr. Mas agradeço as visitas lá no bnb
Bom domingo
:))

Bandida disse...

deixo-te um abraço de maio!!

Ana Paula disse...

Gostei imenso do poema!!

Sônia Brandão disse...

O poeta é um operário que vai deixando, dia a dia, em cada obra, pedaços da sua vida.
Um grande abraço.

heretico disse...

abraço, Poeta.

(ou operário da Palavra)

gabriela rocha martins disse...

cheguei
parti
voltei

trouxe.te
primeiro um cravo
depois uma rosa
por fim
um ramo de flores
de vermelhas

pelos POETAS
josés ,marias ,construtores
do mundo


.
um beijo
( levo um pouco muito deste teu poema comigo )