segunda-feira, 20 de abril de 2009

FESTA DE BELOS VENDAVAIS

1974

Estávamos num conflito de areias
desterrados no deserto
quando choveu
nas nossas bocas
uma certa água
e os cravos povoaram
as ruas


mas foi por uma fresta
escancarada
que te descobri
silvestre e breve
a resistir
no chão onde se despem as pétalas
que voam
sem limites


Ainda hoje chove nas nossas bocas
uma certa efusão de cores
perfumes tresmalhados
e areias


mas és tu Abril
no mais íntimo dos silêncios
a minha festa de belos vendavais

39 comentários:

Mateso disse...

Abril hoje o vendaval da memória fechado num sentir amolfadado!
Belo o teu poema, belo e tão verdadeiro!
Bj.

Anónimo disse...

quem...daquela colheita,é capaz de ficar indiferente,deixando que o seu coração palpite...até "fazer doer"... neste tempo de "ABRIL" ?.. Ah!- Contra "ventos e marés" não deixaremos de enfrentar de peito aberto e inteligencia lúcida, todos os que, de tudo têm feito, para "apagar" a memória de quem a tem, sempre lúcida e ATENTA!

sempre ABRIL...nos n/corações!

Ab. - EL -Belo poema companheiro!!!cam. -AMIGO!

oasis dossonhos disse...

Sinto Nostalgia e Revolta por alguns tentarem amordaçar a Nossa Voz Acesa e Tantos deixarem emperrar as portas que foram escancaradas.
Lembro o Jovem Poeta Eufrásio, Filipe como eu, no velho Pavilhão recebendo com Vultos Sequeira, das mãos de Grandes Homens como Manuel da Fonseca, Armindo Rodrigues e José Gomes Ferreira, o testemunho numa bela Festa Popular idealizada por Mário Castrim: "De Braço Dado!!!
Grandabraço
Luís

Maria P. disse...

Vendaval que faz falta...

Bjos*

alice disse...

chove nas nossas bocas o que escreves do que chove das tuas mãos :) e filipe é um bonito nome de homem e de poeta! beijinhos.

anamar disse...

Belo e forte!
:.))

jrd disse...

Voltar a dançar à chuva e a rodopiar ao vento, em Abril é preciso.

Teresa Durães disse...

gostei bastante!

utopia das palavras disse...

Emoções que nos trouxe Abril!
O teu e o nosso sentir Abril!

Um vendaval de palavras bonitas!

Um beijo

Justine disse...

Estamos mesmo a precisar de um outro vendaval, para refazer as forças desse que tão poeticamente descreves

SILÊNCIO CULPADO disse...

Mar Arável

Abril é esperança e Primavera. A recordação dum passado que é preciso ressuscitar porque os corvos vieram
e a noite há-de levar o que restam dos sonhos de outrora se não nos dispusermos a avançar.

Abraço

CCF disse...

Nunca será um mês a passar por nós como os outros, traz sempre vendaval e cheiro de flores, para mim papoilas, o verdadeiro grito dos campos.
~CC~

Marta disse...

Do outro não posso ter memória!
Mas este, das suas palavras, fica registado!
é muito, muito, muito bonito!
Sente-se.

heretico disse...

que o vento se solte. e expludam todas as pétalas. sem limites...

abraço, Amigo.
confiante.

mdsol disse...

Balhamedeus Mar, eu estava ali mesmo ao lado. Por pouco não fiquei nesta fotografia, mas fiquei numa das que circulou na altura!

Que tempo lindo!

:))

blue disse...

a bela primavera :)

vermella disse...

Que bo é ter memoria,Abril queda convertido nun mes especial para nós tamén.
saúdos.

maré disse...

" ainda hoje chove nas nossa bocas"

mas somos Abril

ainda que as flores se dispam das pétalas no mais íntimo dos silêncios
.

um beijo, rubro.

Nocturna disse...

Com estes cinzentões que nos governam,o com os que os rodeiam e dizem,só com a intenção de se governarem bem precisamos de lembrar e festejar Abril e tudo o que foi sonhado para este País.
Aqueles que amam essa data redentora têm que se unir e combater juntos,senão um dia destes seremos «animais em vias de extinção».
Abril sempre !!
Um abraço
Nocturna

Ana Paula disse...

Tempos que vivi com tanta curiosidade! Era ainda demasiado nova para participar de verdade. Mas, agora, é hora de continuar a participar. Sempre! Em nome da liberdade :)

legivel disse...

... se houve uma festa que nunca apagarei da minha memória, é esta. E colectiva, ainda para mais! que as festas que são festas e desta natureza, devem ser celebradas em multidão.

Maria Clarinda disse...

Pois...ficou a memória e a esperança nunca perdida.
Gostei do teu poema. Jinhos

gabriela rocha martins disse...

lindísimo o teu canto
ao recordar
o nosso ABRIL

há flores (tantas) ainda por abrir!


.
um beijo

Madalena disse...

Lembrar faz quase doer. Provoca uma saudade do irrepetível.

Foi tão bom ABRIL!

Obrigada.

mariam disse...

________ BELÍSSIMO ________ .

Eufrázio, um grande abraço e o meu sorriso (de sempre) :)
beijinhos
mariam

Adriana disse...

Que lindo esse poema de Abril, fazia tempo que não vinha ao teu blog, mas tem sempre uma coisa boa por aqui.

Paulo - Intemporal disse...

__________________________________

vinte e cinco de abril de dois mil e nove
__________________________________

e porque são sei dizer melhor e se soubesse não saberia dizer assim, digo que,

"Há uma Justiça para ricos e outra para pobres, uma Justiça para famosos e outra para anónimos, como há Saúde e Educação diferentes para ricos e pobres. Cumprir Abril é uma questão de justiça. Já não podemos esperar mais 35 anos".

Paulo Baldaia

______________ para reflexão [...]

Luis Eme disse...

Abril continua vivo, apesar do esforço que algumas alminhas fazem para lhe retirar o sentido.

mas está dificil!

polidor disse...

vivido e participado... o tempo passa.
abraço

Alvarez disse...

25 de Abril... Sempre!...

Abraço,

Alvarez

Isa disse...

Saudade desse Abril!
Beijo.
isa.

isabel mendes ferreira disse...

nossa.
tão nossa.
a festa.

que se cumpra.



beijo. de cravos.

Caçadora de Emoções disse...

Eufrázio,
Vim deixar-lhe um cravo vermelho com saudades.
E um grande sorriso :) festivo.
Fique bem.

as velas ardem ate ao fim disse...

Feliz dia da Liberdade!

gabriela rocha martins disse...

venho apenas deixar.te um beijo especial num dia
muito especial

"para que as memórias não se apaguem"

oasis dossonhos disse...

http://aguasdosul.blogspot.com/2009/04/35-anos-depois-o-povo-saiu-rua.html

saudações fraternas

Luís

Analuka disse...

Belíssimo poema! Aprecio também o nome do blog, "´MAR ARÁVEL" ! Deixo um beijo azul, alado...

Lena disse...

Um grande dia, esse 25 de abril...inesquecivel....
Se este abril pudesse nos trazer tanta alegria como em 1974 !

Fernando Samuel disse...

Belo. Como Abril
(também lá estive, nessa festa «de braço dado», no Pavilhão)

Um abraço de Abril.