quarta-feira, 29 de outubro de 2008

NO TOMBO DOS DIAS


Nos interstícios de cada maré
os violinos têm por hábito
adormecer
só para respirarem
os frutos primitivos do silêncio
nos teus braços
Definitivamente descalça
tão linda e tão triste
nesta manhã que se arredonda
fluis como um rio
de costas para a cidade
no tombo dos dias
Assim colho os perfumes dissonantes
solto os cabelos
para me enlaçar
no teu canto
e talvez inutilmente
sacudir-te de sombras

24 comentários:

Maria disse...

Também a noite se arredonda
nas ondas de espumas rendilhadas
desta maré cheia

Beijo

isabel mendes ferreira disse...

definitivamente!!!!!


um rio de sílabas para dizer a música daqui!


sempre em crescendo.



beijo de bom dia!!!!!!

maré disse...

...definitivamente descalça...

dizem que respira o mar
para guardar as estrelas
e sacudir-se de sombras...

_____

lindo...e tanto o respiro.

um beijo atlântico.


maré

Maria P. disse...

De uma beleza leve, que toca a magia...

Um abraço.

gabriela rocha martins disse...

apenas



.
um beijo

Utopia das Palavras disse...

Caiem os dias
quando...
absorta...
não sinto que tu estás
tao perto...e
absorta...
perco-te
ante o entardecer
de tantos dias...!

Beijos
ausenda

intimidades disse...

lindo

Jokas

Paula

João Norte disse...

Bonito.

Graça Pires disse...

"Os frutos primitivos so silêncio" é que nos trazem este belo poema e esta imagem onde ela nos olha "definitivamente descalça
tão linda e tão triste"...
Um abraço.

jrd disse...

No espaço de cada maré, por vezes, o silêncio dos dias volvidos.

hfm disse...

gostei muito deste sacudir de sombras.

Meg disse...

...solto os cabelos
para me enlaçar
no teu canto
e talvez inutilmente
sacudir-te de sombras.


...belíssima imagem poética.

Um abraço

maria josé quintela disse...

nos dias redondos



as palavras sem sombra.



um beijo.

Waft disse...

Há um profundo e quase triste sentimento neste verso - "sacudir-te de sombras.".

Muito bom todo o poema.

Lena disse...

um poema tão lindo e tão triste
que nos leva
ao ritmo da maré

um beijo

mariam disse...

E.Filipe,
poema belíssimo.

"nesta manhã que se arredonda"
"a vida é assim
um um cruzamento
de ciclos
e marés
aráveis"

:)

bom resto de semana
um grande sorriso :)

mariam

obrigada p'las palavras.

batista disse...

passar por cá, logo pela manhã, é certeza de encontrar boa poesia. valeu!

deixo um abraço fraterno.

Caçadora de Emoções disse...

Poeta,
Um Poema musical que roça a nostalgia, uma imagem que fala por si só, sem necessitar de palavras.
Gostei muito!
Bom fim-de-semana.

Abraços e um sorriso :)

Justine disse...

Legenda/poema superlativo , que me faz viajar para além do que mostra a pintura inspiradora

Donagata disse...

Tão lindo e tão triste, também este poema. Belíssimo.
Beijos

vida de vidro disse...

Definitivamente descalça... a beleza das palavras a sacudirem as sombras. **

Alexandre disse...

Lido num fôlego como devem ser lidos os poemas verdadeiros, feitos de silêncios e de perfumes dissonantes...

Um abraço! Bom Domingo!!!

heretico disse...

"descalça vai para a fonte/Leonor pela verdura..."

ocorreu-me a associação, Poeta! belíssimo poema.

abraços

SMA disse...

Sinto o perfume em silêncio
e hoje dixo essa palavra de sombras e de luz
.
.
.
bjo