segunda-feira, 9 de junho de 2008

PETRÓLEO NA FOGUEIRA


O mundo não está mais pacífico,nem a riqueza
mais distribuída.
No nosso país agravam-se as desigualdades,
na europa faltam construtores de sonhos acordados,
líderes em vez de chefes.
Os carregadores de penas já não suportam
muito mais o peso dos santos,muito menos
os seus andores.
No chamado mundo civilizado e ocidental
as ditaduras já se perfilam e limpam armas.
Há mesmo quem aposte em lançar petróleo
nas fogueiras.O medo e o salve-se quem puder
está a germinar desgraçadamente.
Por cá - os grandes patrões que se têm oposto
à Federação dos Sindicatos dos Transportes
são os mesmos que não se opõem à Antram.
O mesmo governo que não adopta medidas
para a crise geral,fazendo pagar mais às grandes
fortunas,é o mesmo que ignora as manifestações
de protesto dos marginalizados.
Os grandes patrões e o governo - continuam
a entender que a crise provocada só pode ser
paga com mais desemprego,mais trabalho precário,
mais reformas de miséria,mais falências
dos pequenos e médios empresários.
O poder político está condicionado ao poder económico e revela os resultados práticos
das políticas neo-liberais do sistema.
Este caminho pode conduzir a insurreições generalizadas contra o poder dos monopólios
- legítimas - porque em nome do mercado -
não se deve desmantelar a liberdade dos cidadãos
nem a democracia participada.
Os estomagos vazios podem não fazer revoluções
mas têm muita força

16 comentários:

manhã disse...

200.000. não tinha percebido o que aconteceria na quinta-feira passada, mas agora já percebi.

Bandida disse...

que se diga!!

jrd disse...

Excelente análise.
Quem sabe se o homem vai começar a sentir "impressões".

Licínia Quitério disse...

O petróleo começa a incendiar(-se). Um dia será, não é? Imparável, a ganância. E os pobres dos pobres vão definhando, sem voz. Ando triste.

Ana Paula disse...

Uma coisa é certa: é preciso mais informação sobre esta questão do petróleo. O assunto parece-me ainda mais sério do que julguei.

vermella disse...

Suscribo todo o que dís,aquí tamén temos dirixentes que somente se ocupan das macroeconomías e aos demáis so nós deixan o dereito a folga,mira ti que boiños que son.............
beijo.

Luís Galego disse...

na europa faltam construtores de sonhos acordados...DE FACTO...

cristina disse...

Fomos mtos ... mtos mil ... fomos mais de 200 mil a exigir no passado dia 5 de Junho 1 verdadeira mudança de politicas q o Governo quis ignorar.

Hj temos as bombas a secar ... amanhã seremos nós q estaremos completamente secos se este Governo n alterar esta politica.

Estou inteirmanete solidária c a luta dos camionistas.

samuel disse...

O imbecil só se "impressiona" com o que vê no espelho.
"Espelho meu, espelho meu..."
Cá p'ra mim... era partir-lhe o espelho...

Justine disse...

...mas têm muita força, e é a força que move montanhas, não a fé.
O jeito tranquilo do teu texto só lhe aumenta o tom assustador.
"Isto" está assustador

Mel de Carvalho disse...

Perfeitamente de acordo. Os estomagos vazios são uma espécie de tambores onde os ecos das dores d'antanho se multiplicam assustadoramente ...
Ou talvez sejam, quicá, cornetas a tocar para a madrugada dos tempos ...

A ver vamos, caro Mar Arável, se teremos que começar a usar de novo o arado e a semear mares de palavras novas, tal "trovas ao vento que passa", pois então.

Abraço da Mel

São disse...

Está começando a cumprir-se a profecia de meu Pai, que era homem inteligente e interessado - embora só com a antiga quarta classe.

poesianopopular disse...

O problema maior, n�o � a roptura, mas sim o que vem a seguir , � preciso que estejamos preparados, atitude certa, no momento certo, o povo unido jamais ser� vencido, a luta � o caminho!

isabel mendes ferreira disse...

oxala que sim.



. brilhante.


oxala que renasça o grito.

CCF disse...

Não sei se têm muita força ou pelo menos não sei em que direcção essa força se move; é que por vezes são uns contra os outros, "vazio" contra "vazio" e nem sempre é vazio contra "excessivamente cheio".
~CC~

Anónimo disse...

"Desigualdades"...no País e Mundo
"Chefes"...cada vez mais
"Peso(s)...mais pesados
"Marginalizados"...multiplicam-se
"Riquezas"...cada vez maiores
"Pequenos e médios"... a abater
"Desmantelar a Liberdade"...perigo eminente
Perante isto...Que futuro????

princesa