segunda-feira, 24 de setembro de 2007

A SENHORA DAS MEIAS PRETAS

imagem da net












Ao som do Gregorian Chant,no Monostery of Montserrat,estava eu


no c.d.,a ver na minha frente - cairem aves do céu - que mais me


pareciam estrelas.


Na verdade estão sempre a cair aves neste chão que as





fe - cunda


re - colhe


se - pulta





Na verdade neste chão de asas e mares desgrenhados





flutuamos





tão leves que nem a morte sente os nossos passos.





- Cão de barro?


- Perdão - as estrelas também se conquistam - mesmo as que caem do céu.Foi precisamente por isso que decidi apaixonar-me pelo seu cão de barro.


-Decidiu?


- Sabe - até para amar é preciso ser competente e tomar decisões.


É verdade decidi apaixonar-me pelo seu cão de barro e solicitar a sua


presença no meu gabinete de trabalho.Acredite que tenho necessidade


de partilhar o poder no meu último despacho.


Especulei com a memória e recordei uma história inventada


"Sim senhora ministra".





Uma vez mais a lua estava cheia e um vulto elegantíssimo percorria


a azinhaga desde o portão até à casa.


Obviamente o portão estava no trinco e o cão preso.


O Dique - observador de silêncios gregorianos - permitiu que o vulto


se aproximasse - mas não deixou de roer a corda.


No chão da azinhaga - um som cadenciado - uma espécie de toc-toc


toc-toc na direção da casa.


Agora sim mais nitidamente,o vulto parecia um espaço habitável,


uma mistura de sombras eróticas.


Exibia quase provocadora um caminhar de ancas sofisticado


e o clássico aroma do chanel nº.5.


- Senhor - não é um assalto.Tomei a liberdade de invadir pacificamente o seu espaço para lhe fazer um convite personalizado.


- Foi um risco senhora.Aqui quem morde é o dono.





No dia e religiosamente na hora - lá estava eu com o meu cão de barro,no seu faustoso gabinete de trabalho.





Decidida - varreu para o chão toda a papelada,arquivada à vista


na larga mesa de reuniões.


Colocou na aparelhagem um c.d. e o reóstato no lusco-fusco.


Pegou docemente no dique.Subiram para o tampo da mesa e aí


dançaram soltos,como estrelas,cabeças a tilintarem nos cristais


do lustre.





Exausta - largou o cão e convidou-me para um moscatel roxo.


Sentada no sofá,saias arregaçadas,colocou uma bela caneta


de tinta permanente,cravejada de brilhantes e aparo de ouro legal -

entre os dedos do pé direito e assinou devagar mas com determinação

o seu último despacho oficial.



-" A partir de hoje - sou a senhora das meias pretas."







15 comentários:

hora tardia disse...

na verdade. flutuei.



senhor!



______________________


:)

perfeito?


é pouco.

Gi disse...

Arrebatador :)

Não sei se o cão se o texto mas agora pouco importa .

Saio com um sorriso, como que flutuando. Talvez o culpado seja o Moscatel Roxo :)

Um beijinho

vermella disse...

Turbador e excitante coma o moscatel roxo..........
obrigada pola visita e beijo.

pin gente disse...

cheguei a ter medo do sono.

Perdido disse...

"Senhor - não é um assalto.Tomei a liberdade de invadir pacificamente o seu espaço para lhe fazer um convite personalizado."

Corrijo, vim apenas dizer quanto gostei. A inteligência e a ironia, que aqui não faltam, deliciam.

Parabéns

aquilária disse...

:)

meias de vidro, ou meias de seda, suponho. abomino a despoetização que os outros materiais (lycra, mousse,etc)trouxeram ao uso da lingerie.

Bichodeconta disse...

E ASSIMME FEZ SONHAR.. LINDO, UM ABRAÇO, ELL

blue disse...

o livro vermelho de monserrat?

hora tardia disse...

O livro vermelho!!!!

pois claro. claro/escuro.


:)


.

o Piano abriu.

n�o sei se sim ou n�o...mas l� est�....

Teresa Durães disse...

adorei o que li! não são palavras vãs: tenho fama de nomes muitos feios (diria frontalidade mas hoje em dia parece que enquadram uma vasta gama de adjectivos)

boa noite

isabel mendes ferreira disse...

mas é um"piano ainda sem muita graça..."

_____________


beijo.

Mateso disse...

Sinceramente acho que é...uma maravilha!
(só o Chanel... perdoa.. com tantos aromas logo o chanel e nº5...!!!)Parabéns.
Um beijo

jrd disse...

Gostei do texto. Entre várias referências ressaltam a lembrança de Jordi Saval, a Catalunha, "o cão que não morde e o dono que morde" e as perturbantes meias pretas.
Apenas não retenho a fragrância do Chanel nº 5, prefiro sentir outras...

herético disse...

mas valeu o despacho! ufff...

Anónimo disse...

Desta vez, a qualidade que o distingue, apresenta-nos mais um cenário lindo!
Deixa-nos transparecer afectos sublimes em ambientes românticos.
Texto agradável de ler e sentir...
...o perfume da relação...
...a aventura...a leveza dos pássaros...o sabor do moscatel roxo em copo de cristal fino...a sensualidade e erotismo que cada um dos intervenientes exibe em noite escura ou de luar!
Eu, muito gostaria de descobrir e conquistar as estrelas que há em si!...que o guiam e inspiram!
Parabéns pela sua competência e criatividade!!!!
princesa