quinta-feira, 31 de maio de 2007

ALBARDAM O POVO À VONTADE DO BURRO


desenho de Rafael Bordalo Pinheiro








Ninguem foi obrigado a fazer greve,mas muitas centenas de milhar foram obrigados a não fazer greve.

5OO mil desempregados,milhares nos serviços obrigatórios minimos,parte significativa de um milhão de trbalhadores a recibo verde,parte dos que trabalham em regime de medo,

parte dos que trabalharam por não poderem prescindir de um dia de salário,centenas de serviços públicos que apenas abriram as portas para figurarem nas estatísticas.

O governo e os seus poderes centrais - é verdade - nesta

sociedade mercantil e modernaça - transformam pessoas em

mercadorias,não interpretam os sinais evidentes do descontentamento geral - fingem que não têm a cabeça na areia

albardam o povo à vontade do burro.

Até quando?

9 comentários:

MARIA VALADAS disse...

Concordo plenamente com todo o conteúdo escrito no post!

Ninguém foi obrigado a fazer greve...mas quantos Funcionários Públicos não a fizeram com receio das represálias?!!

E vêm este " Governo" com a desculpa que estão a contar o pessoal que a fez...só para estatística?!!

Em trinta anos de carreira na Administração Pública... sempre aderi...para reivindicar os direitos que nos pertencem... jamais baixarei os braços e calarei a minha voz!

Não sou... dos que têm medo!

Abril, SEMPRE!!

Abraço amigo da

Maria

Maria disse...

Até quando, não sei. Só quando TODOS tomarmos consciência, talvez.
Mas o que sei é que, mais uma vez, a comunicação social não fez, como lhe competia, o seu papel.
E quando tentou fazê-lo, ou quando fingiu que o ia fazer, fê-lo mal.
Não se interrompe ninguém no início de uma análise a uma Greve Geral para perguntar números.
E outros, e outros.
Palpita-me que "isto" pode aquecer ainda mais um bocadito...

Isabel-F. disse...

"albardam o povo à vontade do burro.

Até quando?
"

nós portugueses temos de fazer alguma coisa ... o quê não sei ...
não percebo nada de política ...

bom fim de semana

un dress disse...

gulliver`s travells. ok.

mas onde estão os lilliputianos!!!?

Entre linhas disse...

Por vezes temos a noção que algo está mal e não corresponde á realidade quanto á aplicação da legislação laboral em vigor,não aplicada pelo patronato,mas o medo vence muitas das vezes de se perder o emprego.
As entidades patronais encontram-se protegidas por inúmeras cláusulas,e tem sempre a faca o queijo na mão,coitado é dos colaboradoes que se encontram no colete de forças.
Falo com conhecimentode causa.
Bom fim de semana
Bjs Zita

Anónimo disse...

Mais uma vez conseguiu escolher e adaptar as palavras certas à situação, muito a seu jeito!
De facto, "neste jardim à beira mar plantado", confrontamo-nos cada vez mais com:
Estatísticas falseadas
Verdades aldrabadas
Pessoas desrespeitadas
Inverdades aclamadas...
Um povo albardado
E sobrecarregado
Na sequência de vontades imbecis!
Princesa

Letras de Babel disse...

até que este povo mude.


(e parece que não disse nada...)

Letras de Babel disse...

até este povo mudar.

(e parece que disse tão pouca coisa, não parece?)

pé descalço disse...

Eufrázio Filipe

Em tempo de maioria absoluta
o que é que distingue uma democracia de uma ditadura?
só se for o número de ministros que dão a cara!!!
porque a repressão pelo medo é a mesma...

até ao dia
em que o povo tomar consciência
que ser livre
é ter direito
em condições de igualdade
à Saúde, Sustento e Saber

Os 3 S`s do professor Agostinho da Silva


um abraço