domingo, 8 de abril de 2007

Urge regionalizar o país


Todos os poderes centrais querem concentrar poderes - o máximo de poderes.É uma tentação desgraçada que passa a proveito,à margem dos interesses gerais.
Quando os poderes centrais não tomam a iniciativa para se descentralizar,terá de ser a opinião pública a organizar-se independente-
mente das lapelas politico-partidárias.
Na verdade - o poder só é poder se exercido,mas para ser democrático tem de descentralizar-se.
Não sendo a regionalização do país,por si só,a varinha mágica para
todas as maleitas do regime,é no entanto um imperativo nacional que
criará novas condições de participação e de decisão - será um instrumento de soberania popular para a melhoria da qualidade da
nossa democracia e para a gestão mais equilibrada do ordenamento
do território.
Urge criar um poder regional que seja charneira entre o poder local
e o poder central,à semelhança das práticas europeias.Urge substituir
as estruturas actuais de coordenação regional,com funcionários políticos
nomeados ciclicamente pelos poderes centrais,por eleitos democraticamente pelas populações.
Adiar a regionalização do país não será apenas estrabismo politico
,será colaboracionismo vesgo com os arautos mais retrógrados do regime democrático.

1 comentário:

Sofia Loureiro dos Santos disse...

Concordo com a regionalização, principalmente porque será mais fácil a cada região desenvolver, criar emprego e fixar população do que esperar que o governo central o faça. É, pelo menos, uma esperança.