sexta-feira, 30 de março de 2007

MAR ARAVEL



Desprendemos os céus de todas as preces

regressámos às dunas sibilinas

alados azuis milenares

e começámos a escrever em liberdade

verdades improváveis

2 comentários:

Sofia Loureiro dos Santos disse...

Obrigada pelas suas visitas. Voltarei.

un dress disse...

lindo
claro e leve como gaze...

:)